quarta-feira, 25 de março de 2020

Reinstalar 2020


Sim, pois como o Lord Vinheteiro está dizendo, essa versão veio com vírus.

Equipamento de cozinha pra pescaria


"Eu pegue o equipamento de cozinha como você me disse, pai... Onde eu conecto ele?"

Como diria o Sr. Madruga: É o fim da picada! 😂😂😂

COVID-19 parece um ticket do Jira

Pra quem já utilizou o Jira no gerenciamento de atividades oriundas de projetos, provavelmente deve ter reparado no código de identificação das issues geradas na ferramenta, tratando-se de algo como "XYZ-001".

O que a @mollywaggett se deu conta e compartilhou por meio do seu Twitter é a semelhança do acrônimo "COVID-19" com o número de uma atividade no Jira:

"É assustador pensar que COVID-19 parece com um ticket no Jira"

Os seguidores, concordaram e continuaram tirando onda:

Detalhes sobre a o ticket COVID-19

Tarefa registrada: Wash your hands.

Mas falando sério, será que alguém acabou criando um projeto no Jira pra contenção do COVID-19?

Eu tenho visto coisas horríveis


Chrome e seu modo anônimo nem imaginam o que passa pelo Tor. E é melhor nem quererem saber mesmo...

O programa parou de responder


😯😯😯

domingo, 22 de março de 2020

HTML x CSS


Boa analogia!!

O mapa da robótica

Recentemente a Boston Consulting Group conduziu uma publicação denominada Advanced Robotics in the Factory of the Future, a partir da qual, a revista Você S/A mapeou e compartilhou sobre o uso da inteligência artificial em diferentes indústrias pelo mundo.


Esses dados são um bom direcionador pra ver a quantas anda a evolução desse tema.

Fonte: Você S/A (Fev e Mar/2020)

Suporte para mouse

Seu mouse tem te atrapalhado muito quando necessita utilizar a mesa para outras atividades? Que tal colocá-lo em um suporte? Essa era a proposta da Clone em uma publicação de Jan/1999.


#recordareviver

Fonte: Publicado por Peterson Alves no PapoTech via Facebook

A paranoia passou dos limites


Até o PC tá com medo. 😕

Fique em casa


Campanha não faça broadcast. Fique em localhost. O COVID-19 é real e o melhor remédio é você ficar em casa! 👀

quinta-feira, 19 de março de 2020

Dois tipos de programadores


OK, mas acho que isso depende também da circunstância e da linguagem que se está utilizando, não?

A outra na foto

Nina e Guto se conheceram na internet e começaram a conversar. Nina enviou uma foto ao Guto, a fim de apresentar-se, mas como ele não tinha foto, resolveram marcar para se conhecerem pessoalmente:


Mas o Guto se enganou sobre quem a Nina era na foto...

😂😂😂

Você pode hackear o telefone dela e desbloquear meu número?


Um cara: "Ei, você estuda ciência da computação, certo?".
James: "Sim".
Um cara: "Eu preciso de um favor".
Um cara: "Uma garota me bloqueou. Você pode hackear o telefone dela e desbloquear meu número".
James: "Eu sou um engenheiro de software. Que porra você acha que eu faço?".

Quantos "p" ou quantos "k" de resolução?


Nossa televisão é "kkkk". 😆😆😆

Gravidez tecnológica

Certa vez, um filho e seu pai estavam conversando no caminho de volta pra casa, quando surge o seguinte questionamento:

- Pai, como eu nasci?

De bom grado, o pai responde:

- Eu sabia que um dia falaríamos disso. É o seguinte: Um dia papai e mamãe se conectaram no Facebook e ficaram amigos. Papai mandou uma mensagem privada convidando sua mãe para um cyber café. Nesse encontro, descobrimos que tínhamos muitos links e likes em comum e nos entendemos muito bem. Conversávamos muito pelo WhatsApp e Skype até que um dia decidimos compartilhar nossos arquivos.


E o pai segue relatando:

- Papai introduziu seu pendrive na porta USB da mamãe e quando o upload começou, percebemos que não tínhamos software de segurança instalado e o firewall estava receptivo. A transferência foi tão rápida que nem deu tempo de cancelar o upload no meio. Recebemos a mensagem: "Instalação realizada com sucesso". Como foi impossível apagar os arquivos transferidos, as notificações mensais da sua mãe pararam de chegar e nove meses depois você apareceu como novo contato de usuário, solicitando login e senha com licença sem data de expiração

Fonte: PapoTech via Facebook

terça-feira, 17 de março de 2020

Ser profissional de TI em época de Corona Vírus


Exatamente isso, pois o "show" não pode parar!! 😛😛😛

Curva de aprendizado do VIM

Alguns dias atrás, comentei sobre as possibilidades para sair do editor de texto VIM utilizado no Linux. Como um avanço nesse tema, compartilho a curva de aprendizado que geralmente a galera enfrenta até tornar-se expert nos comandos compatíveis com o software.


Como se pode perceber, tudo começa aprendendo a sair do aplicativo. 😆 Depois, incentiva-se a evitar o uso do mouse, criar configurações simples, editar múltiplos arquivos e permanecer o máximo possível no VIM. Mais tarde, o uso de plugins também entra em cena, adentrando em configurações mais avançadas, o que faz inclusive o VIM ser utilizado como IDE de desenvolvimento. O próximo passo é codificar plugins, e por fim, estar tão adaptado ao VIM que qualquer outro editor de texto parece muito mais complexo de utilizar.

Enquanto isso, sigo no meu Notepad++. 😅😅😅

segunda-feira, 16 de março de 2020

Lançamento do Playstation x Cotação do dólar

Como disse o Robert Gleydson, quando publicou essa imagem no grupo do PapoTech no Facebook: "Quando uma relação whatever de coisas whatever acaba fazendo sentido".


😅😅😅

terça-feira, 10 de março de 2020

quarta-feira, 4 de março de 2020

Conta de energia muito alta


Homem: Por que a conta de energia elétrica está tão alta?
Papagaio: Alexa, ligue as luzes. Alexa, ligue a TV. Alexa, toque uma música.

Fazer um depoimento


Aquele "depô" no Orkut. 😁

Sou um hacker


Situação semelhante a essa aqui.😐

Como resolver aquele bug


Cérebro: Ei, você está indo dormir?
Dev: Sim, cala a boca!
Cérebro: Eu acho que sei como resolver o bug do seu programa.

😡😡

Eu diria que o pior ainda é acordar no meio da madrugada, pensar em uma possível solução para o problema, voltar a dormir achando que vai lembrar da ideia pela manhã, mas ao acordar, se arrepender de não ter anotado, pois esqueceu tudo. 😅

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Um robô dizendo que não é um robô


Putz! E agora???

Fonte: quickrobots via Instagram

Saindo do VIM

VIM é aquele editor de texto quase que default na maioria das distribuições Linux. Na época que eu me arriscava por esse mundo, até tentava usar, antes de recorrer ao bom, velho e mais simples nano. No entanto, sempre que entrava no VIM, nunca conseguia sair de boas e acabava ficando preso ao ponto de algumas vezes até acabar fazendo um logout na sessão atual do sistema operacional.


Em todo o caso, pra quem prefere partir pra ignorância, assim como eu fazia quando trabalhava em uma empresa onde o roteador de internet ficava no alto de uma viga e era necessário reiniciá-lo depois de um travamento, pode puxar o cabo de força ou desligar logo o disjuntor. 😌😅😆

P.S.: Piadas a parte, dentre as diversas formas possíveis de sair do VIM, acho que a mais tranquila e segura é teclar "ESC" para sair do modo de edição do texto e depois digitar ":wq" (sem as aspas) para salvar o arquivo e sair ou apenas ":q!" (também sem as aspas 😐) para sair sem salvar o arquivo.

Como os programadores lavam a cabeça?


😂😂😂

Oficinas eletrônicas, aprendizado e evolução dos aparelhos

Recentemente li na página da Ascume - Associação Cultural Museu da Eletrônica no Facebook a reportagem que compartilho abaixo, demonstrando que além de serem um marco na história dos equipamentos eletrônicos, as oficinas ou também chamadas de assistências técnicas, digamos mais raízes, como a do Sr. Aloísio, estão em extinção. Esse movimento é causado pela evolução dos aparelhos que cada vez mais são desenvolvidos orientados a obsolescência programada, não compensando o conserto devido a escassez e alto custo das peças de reposição. A matéria também reitera um exemplo de dedicação e aprendizado contínuo.

clique na imagem para ampliar

Como sempre gostei de eletrônica, admiro muito as pessoas que tem habilidade para trabalhar nesse ramo, ainda mais quando a experiência é suficiente para consertar uma placa por meio da identificação e substituição dos componentes defeituosos, evitando a troca de uma peça completa o que deveras enaltece o trabalho.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Assustados com a cor azul


Entrevistador: Bem-vindo ao gameshow! Computador, qual é a coisa da qual os humanos temem?
Computador: Uhhh... a cor azul?
Entrevistador: Haha! A cor azul? Como os humanos podem ter medo da cor azul?

😲😲😲

Desarmar o disjuntor

Vamos ver se assim esse disjuntor não desarma mais toda a vez que ligam três chuveiros elétricos, cinco aparelhos de ar-condicionado e quatro torneiras elétricas.


😂😂😂

domingo, 9 de fevereiro de 2020

DIY: Um robô seguidor de linha

Apesar de nunca ter levado muito jeito pra coisa, eu gosto bastante de eletrônica. E essa paixão meio que oculta, está comigo desde criança, quando eu desmontava qualquer aparelho ou brinquedo velho a fim de tirar as peças e guardá-las pra quando fosse necessário consertar alguma outra coisa ou montar um novo dispositivo baseado em qualquer ideia maluca que eu tivesse. 

Não preciso dizer que apesar de divertido, era meio frustrante, pois meu conhecimento era quase nulo (e continua sendo), visto que muitos "projetos" escorriam por água abaixo por não fazerem sentido algum e quem dirá funcionar.

Mais tarde, quando eu já estava mais grandinho, comecei a fazer um curso de eletrônica básica, mas não gostei e acabei desistindo. No entanto, aprendi algumas coisas que foram complementadas por outras que vi nas disciplinas direcionadas ao tema durante o curso técnico em informática. Nessa época, construí alguns projetinhos, seguindo os seus respectivos datasheets, como um testador de polaridade e um "aparelho" que piscava um LED quando o telefone recebia uma chamada.

Algumas vezes ainda tenho vontade de inventar certas engenhocas novas, mas como já falei, tenho pouco conhecimento, portanto, resolvi comprar um kit do tipo DIY para construção de um robozinho seguidor de linha. Abaixo compartilho os registros dessa empreitada.

Manual em what?! 

Pois é, eu achei que acompanharia um manual bem detalhado e no mínimo em inglês, mas como se pode perceber, estava em japonês/chinês/algum idioma oriental. Portanto, como eu conhecia os componentes, sabendo identificar as polaridades de cada um e também a resistência dos resistores, minhas referências foram as informações impressas na própria placa, além da imagem do produto no site do vendedor.

Soldando os LEDs, capacitores e transistores

Soldando também os resistores, o suporte para conectar o CI e os potenciômetros

Fixando o suporte de pilhas e os motores

Depois de finalizar a montagem, encontrei um vídeo bem didático relatando todos os passos para conclusão, além de um segundo, no qual o mesmo autor, explica o funcionamento do circuito como um todo. Confesso que se eu tivesse assistido esses vídeos antes, teria me "tocado" da calibragem necessária para os sensores LDR, evitando ter que retirar o motor, já após fixado, pra tentar entender porquê apenas um dos motores estava girando.

Resultado final após a montagem

Para testar o funcionamento, tracei um circuito no chão usando fita isolante e registrei a experiência nesse vídeo:


Independente de ser um projeto simples, é bacana perceber o resultado final, ainda mais quando funciona conforme o que é esperado e você percebe que a sua solda ficou boa sem ferrar as trilhas da placa. 😊😊😊

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

Quando cai a internet dos dinossauros


😲😱😰

Um carrinho de supermercado premiado

Quando você vai no supermercado e pega aquele carrinho com a rodinha premiada...


Que fica se arrastando enquanto as outras estão andando bem.

😂😂😂

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

Mas o que é um Full Stack Developer?

Na realidade estou criando essa postagem apenas pra compartilhar a imagem abaixo:

Sim, o Tom do clássico desenho Tom & Jerry é um desenvolvedor full stack, só que não de código. 😂😂😂

Em todo o caso, aproveitando a oportunidade, achei bem legal essa explicação do DevMedia sobre a composição de uma stack e por sua vez o que faz um programador ser considerado full stack.

O que é stack?

O programador fullstack

Apesar de ser legal manjar um pouco de tudo, especializar-se em uma linguagem também parece uma boa. Mas sei lá, como eu não trabalho com desenvolvimento, prefiro não me comprometer com pitacos sobre esse assunto. 😉

Celular com pouca memória


Bem comum quando você pede pra ele "lembrar" de muitas coisas. 😄😄

DevOps pra combater os silos

Nessa semana participei de um webinar promovido por um fornecedor da empresa onde eu trabalho, no qual, o tema abordado foi Transformação Digital e DevOps. A agenda foi composta por definições, vínculos com a ferramenta desse parceiro e de uma demonstração prática.

Vamos focar na definição. Transformação Digital e DevOps são assuntos que frequentemente aparecem nas conversas que a equipe em que eu trabalho tem com gestores e áreas técnicas da companhia. Afinal, parte do nosso papel como uma área de Governança de TI é compreender os vínculos e participar ativamente de todo e qualquer movimento provocado pela TI, assim como também, na TI.

Achei bacana o ministrante defender que DevOps não se trata de uma ferramenta, um padrão ou um produto, mas sim, uma cultura entre os Times de Desenvolvimento (Dev) e Operações (Ops) que suporta a criação de diversas práticas, a fim de promover a "quebra" dos silos presentes em uma organização.

 Saga de um código entre silos

No fim das contas, o grande objetivo da DevOps é manter um pipeline contínuo, promovendo a interação entre os profissionais envolvidos em um projeto, no intuito de compreender a construção, a integração, o monitoramento, os testes e a implantação de um produto, serviço ou componente.

Cultura DevOps

A cultura DevOps, portanto, faz parte da Transformação Digital, que como eu defendi ao longo do meu TCC (mesmo que não mencionando diretamente esse termo) beneficia os consumidores com entregas mais rápidas e contínuas. Face a isso, existe uma realidade onde as pessoas estão cada vez mais impacientes, informadas e exigentes, o que provoca uma reação dinâmica em uma esfera que até então não estava  preparada para lidar com esse movimento, mas que aos poucos está se adaptando.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Software é como sexo

Software é como sexo: É melhor quando é de graça.

Eita. OK!

domingo, 19 de janeiro de 2020

Zuckerberg já tem nosso currículo


Nem precisa de preocupar. Se atender os requisitos da vaga, eles chamam. 😂

Deixar carregando até 100


Status atual = R$ 2,00 reais.
Status desejado = R$ 100,00 reais

Um estranho de patinete: Comentários sobre o Foston S08 Pro

Quando eu tinha 10 anos, ganhei no Natal um patinete, daqueles modelos de alumínio que na prancha tinha uma lixa adesiva com a escrita "Scooter". Era muito legal! Lembro que nas férias de verão, eu passava o dia "patinetando" ao redor de casa e as vezes até arriscava uns "rolezinhos" mais longe, como quando minha mãe pedia pra eu ir no mercadinho, por exemplo.

Alguns anos depois, eu disse pra meu pai que eu queria um patinete novo, mais robusto, com o qual eu pudesse ir pra escola, que ficava a cerca de 3 km de casa. Principalmente por ser uma zona relativamente movimentada da cidade e eu ainda ter apenas 13 anos, o risco era alto. Também não sabíamos se existia um modelo adequado. Portanto, a ideia não se materializou.

Recentemente, quando começaram a aparecer os patinetes motorizados, tanto a combustão quanto elétricos, fiquei bem motivado a ter um. Mais ainda quando a Yellow começou a espalhar nas grandes capitais seus modelos, oferecendo um serviço de locação. Meu experimento ocorreu em dezembro/2019, quando passei um fim de semana em São Paulo com o pessoal do trabalho para participarmos de uma festa da empresa. Na saída do hotel, bem na esquina, haviam dois "Yellows" (que agora são Grin ou Rappi) estacionados na calçada. Antes de irmos para o aeroporto, um colega e eu resolvemos dar uma voltinha com eles pela Av. Paulista.

 Valter (meu colega) e eu de patinete na Av. Paulista

Depois desse dia, comecei uma busca implacável por um patinete elétrico. Encontrei uma postagem relatando um comparativo entre 7 modelos, o que serviu para direcionar minha pesquisa. Fiquei bem interessado no Xiaomi M365, mas por ser quase uma cópia desse modelo, porém um pouco mais barato, acabei ficando com o Foston S08 Pro. Ressalto que os preços sugeridos no artigo que "linkei" estão bem abaixo do que encontrei no mercado.

Achei um review muito bom sobre esse patinete. O autor trabalha com dronemodelismo e usa seu Foston para ir até a pista onde supostamente "corre" com seus drones.

Já fazem três semanas que estou com meu Foston. Paguei R$ 1630,00. O valor original seria R$ 1499,00 no dinheiro. Contudo, como eu paguei no débito e houve mais o custo da entrega, fechei com a loja nesse valor. Não me arrependo da compra, inclusive recomendo para quem deseja um uso casual. Minha intenção não é utilizá-lo diariamente, mas apenas nos finais de semana. No domingo passado, em pouco mais de 30 minutos rodei 8,88 km. Ontem, foram 11,24 km em 48 min. Como ele não possui nenhum aplicativo de monitoramento, pois não oferece conectividade bluetooth, tenho utilizado o smartwatch Amazfit BIP em modo ciclismo para medir as distâncias percorridas.

 Foston S08 Pro dobrado

Foston S08 Pro

Workload com Amazfit BIP

Apesar de estar satisfeito com a compra, tenho três percepções, digamos, negativas que eu gostaria de compartilhar:
  1. Ele possui apenas o freio traseiro e é a disco. Tenho notado que está fazendo bastante barulho em alguma freada mais longa e isso tem me incomodado. Contudo, vou verificar se é possível amenizar esse ruído.
  2. Tenho sentido que o acelerador está meio trancado, pois ao soltá-lo, o botão não está retornando por completo ao estado inicial, acarretando no patinete sempre ficar acelerado, caso eu não puxe de volta o botão. Vi que tem um parafuso na parte de baixo e acredito que posso regular a precisão do acelerador através dele, então, acho que esse ponto é contornável.
  3. Calibrar o pneu dianteiro é complicado. O ventil da camara é muito curto e como o motor é na frente, protegido por uma calota saliente ao aro, o acesso para encaixar o bico de um calibrador desses de posto, por exemplo, é inviável. Em uma casa de ciclismo, eu consegui comprar um extensor, no entanto, não tem sido totalmente eficiente, pois ao desaparafusar o adaptador, após finalizar a calibragem, o pneu perde algumas libras, o que faz voltar a não estar calibrado. Apesar de existirem soluções de contorno, como encher utilizando uma pistola de ar, nunca saberei se estou calibrando com o valor correto. Por isso, ainda busco uma solução melhor. Sobre a calibragem, em um vídeo, encontrei uma tabela que propõe uma margem do peso do usuário em relação aos PTS que devem ser utilizados para calibrar o pneu dianteiro e o traseiro. Desejo utilizar esses valores como referência para não prejudicar o aro ao longo do tempo.
 Calibrar pneu patinete Foston S08 Pro

Acho engraçado que quando passo pela rua, ao menos aqui onde eu moro, as pessoas ficam olhando com cara de espanto, como se nunca tivessem visto algo igual. As crianças gritam: "Olha, um patinete de motor!". E os mais velhos comentam: "Eu precisava de um assim pra ir trabalhar...".

Em todo o caso, já adianto que não sou o cara mais bonito do mundo andando de patinete. Então, se você vir um nerd, meio gordinho e com as costas um pouco curvadas passando de patinete na frente da sua casa, pode comentar, mas por favor, não faça piada, pois só estou me divertindo um pouco. 😁😁😁