domingo, 28 de fevereiro de 2021

Brasileiros estão em segundo lugar na propensão para problemas de visão

Segundo uma pesquisa realizada pela Lenstore, uma varejista especializada em lentes e demais soluções e acessórios na cadeia de ópticas, o Brasil estaria no segundo lugar na propensão para problemas relacionados a visão, causados pelo uso intenso de dispositivos com tela. Essas manifestações são definidas pelos entendedores como Computer Vision Symdrome (CVS) / Digital Eye Strain (DES), o que na tradução, trata-se de algo como Síndrome da Visão por Computador ou estresse visual.

Imagem: Freepik

O estudo envolveu 40 países, através do qual, buscou-se identificar a média de tempo gasto por uma pessoa, durante um dia, no uso de dispositivos como smartphones, computadores, TVs e consoles de vídeo game. Somente atrás das Filipinas com um total de 14,2 horas, o Brasil alcançou 13,4 horas por dia no uso desses dispositivos, seguido por Tailândia com 13,3 horas, África do Sul com 13 horas e México com 12,6 horas. A média diária no mundo é de 9 horas e 45 minutos. A seguir está o ranking detalhado considerando os 10 primeiros países.

Traduzido e adaptado de Lenstore (2020)

Nos 40 países em que a pesquisa foi desempenhada, a média de pessoas que possui um smartphone é de 94%. Este público faz um uso de 3,2 horas por dia no dispositivo.

No mundo, existem em torno de 5,2 bilhões de pessoas utilizando algum tipo de dispositivo móvel. A internet possui cerca de 4,5 bilhões de usuários no planeta. A partir disso, parece seguro dizer que todo usuário de smartphone tem acesso a internet, e que ainda há pessoas, possivelmente utilizando aparelhos mais simples, que não oferecem algum tipo de conexão.

Face aos dados apresentados, a pesquisa apontou que tipicamente, uma pessoa gasta 40% da sua vida utilizando a internet e pelo menos 6 horas e 43 minutos por dia navegando.

Média de uso nos países avaliados

O ensaio conduzido pela Lenstore, leva a crer que os aparelhos móveis são o maior ofensor da saúde ocular da população. Entretanto, muitos indivíduos ainda dividem seu tempo com outras telas. O quadro abaixo retrata a média de uso por aparelhos nos top 10 países avaliados.

Traduzido e adaptado de Lenstore (2020)

Apesar das preocupações que todos esses dados carregam, a maneira como vivemos no mundo atual, querendo ou não, demanda estarmos conectados. OK, talvez 14 horas por dia na vida de uma pessoa seja tempo demais, mas sem dúvidas, necessitamos de uma parte disso, pois para muitos trabalhadores é comum atuar em frente ao computador. Além disso, comunicação e lazer, uma vez que estamos em tempos de pandemia e o distanciamento social é exigido, também dependem do digital.

Mas o que fazer?

A Lenstore, ao concluir o seu estudo, recomenda algumas práticas que podem ser seguidas a fim de amenizar os danos causados pela CVS / DES. Entre as dicas, estão manter a tela do seu dispositivo a pelo menos um braço de distância dos olhos, aumentar o tamanho das fontes utilizadas nas aplicações e aplicar a regra do 20-20-20. Este princípio, consiste em a cada 20 minutos defronte a uma tela, olhar para um objeto que esteja a 20 pés de distância (aproximadamente 30,5 centímetros) e focar nele por 20 segundos. Conforme a fonte, isso alivia a exposição dos olhos ao brilho provocado pelos displays.

Fonte: Lenstore e ZDNet

terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

Tipos de Carreira: Líder ou Técnico

Certamente todo o indivíduo, em algum momento da sua vida, já se questionou ou mesmo foi questionado sobre o rumo da sua carreira. Para alguns, desde o início, é claro o caminho que mais lhe convém. Já para outros, o cenário vai clareando as poucos, conforme as experiências são vividas.

A esfera mais prática é o limiar entre posições de liderança e técnicas. Para isso, existem diferentes maneiras para um profissional posicionar-se, seja de forma planejada ou simplesmente na medida que as oportunidades surgem. A seguir, compartilho um quadro que elaborei sobre estes tipos de carreiras, diferenciando carreira em Y, X, W e linear.

clique na imagem para ampliar

Além desses quatro pontos de vista em relação as posições funcionais, também existe uma forma mais teórica de caracterizar a diversidade de carreiras existentes no mercado. Dentre elas, estão carreira corporativa, carreira do empreendedorismo, carreira de especialista e carreira sociopolítica, como bem definidas em um artigo publicado pelo site Administradores. Em uma outra publicação, mas esta feita pelo Mundo Carreira, cita-se também carreira burocrática e carreira acadêmica, que são tão notáveis quanto as demais.

E com isso, só posso dizer que feliz daquele que tem um plano de carreira bem definido, ou trabalha em uma empresa que apoie e ofereça o suporte adequado para traçá-lo e aplicá-lo. A gama de elementos correlatos que esse tema pode envolver é imensa. Realização profissional, equilíbrio entre trabalho, família e finanças, são só alguns deles. Por isso, toda a decisão deve ser bem lapidada antes de tomada, pois o reflexo e as consequências disso repercutem significantemente na vida profissional de cada um.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Um negócio chamado "programação ágil"

E aí, na sua empresa já tentaram esse negócio de "programação ágil"? 😆

Procura-se estagiário com experiência

Quando empregadores exigem 10 anos de experiência e o candidato não tem nem 20 anos

Tipo isso pra quem pede experiência até pra uma vaga de estágio. 😅

O perfil das gerações de profissionais

Houve uma época em que eu comentava bastante sobre gerações por aqui. Inclusive, tem até uma tag "geração y" que coloquei em vários destes posts. Esse assunto sempre me deixou curioso, pois há alguns anos, ainda na minha adolescência, eu pensava que havia nascido na época errada. Transcendia por mim um excesso de conservadorismo, não concordando com várias opiniões e atitudes de pessoas com a mesma idade da minha, tanto na escola quanto trabalho e faculdade.

Não digo que hoje isso mudou totalmente, mas é algo que não me incomoda mais tanto. Deixou de ser meu foco observar, e mesmo que implicitamente, criticar esse pessoal. Entretanto, sigo curioso na observação dos seus comportamentos nas relações de trabalho. 

Há alguns meses, participei de um webinar no trabalho, onde esse tema foi pauta. Com isso, resolvi criar o quadro abaixo, ilustrando as gerações e suas individualidades.

clique na imagem para ampliar

Dentre as lições que tirei desse evento que comentei, é a razão para agrupar pessoas em grupos. O motivo disso é que seus membros são ou foram impactados pelo mesmo contexto social e econômico. Através desse ponto de vista, a maior parte das evidências sugere que indivíduos de diferentes gerações compartilham de um número considerável de preferências e valores.

Muito se pode falar sobre esse conteúdo e é fundamental que o principal vetor pra isso nas organizações, sejam as áreas de RH e gestão de pessoas. Seu papel é criar programas e iniciativas que visem engajar e orientar a convivência entre as diferentes gerações, a fim de encontrar um "denominador comum" para que todos sintam-se prestigiados e entreguem sempre o seu melhor.

domingo, 7 de fevereiro de 2021

Aprendendo mais sobre baterias de notebook

Já faz mais de um ano que meu velho notebook HP 420 arriou a bateria. Eu pouco utilizo ele, mas como é uma instalação antiga do Windows 10, eventualmente preciso acessá-lo para buscar arquivos ou usar algum software que tenho instalado apenas nele. Sempre que necessário, precisava ficar pendurado próximo a uma tomada. Por isso, alguns dias atrás, mesmo sabendo que é um notebook antigo, resolvi ceder e comprar uma bateria nova pra ele.

Manual de Instruções de Garantia —  Informações sobre baterias de notebook e boas práticas de uso

Fiz a compra pelo Mercado Livre e essa semana recebi o produto. Para minha surpresa, a loja enviou junto um "manual de instruções de garantia". Mas na verdade, achei mais semelhante a um livreto explicativo sobre baterias de notebooks. Como o conteúdo trata sobre boas práticas também, está aí a razão por relacionarem com garantia. Entretanto, achei as informações tão bem esclarecidas e expostas de uma forma clara e resumida, que quero compartilhar alguns trechos por aqui.

Células, capacidade de carga  e autonomia
 
Ciclo de carga, compatibilidade (Part Number — P/N) e variação de tensão

Primeira utilização da bateria e calibragem das células
 
Bacana, não? Deixo aqui publicado para a posteridade, mas obviamente os créditos são da Neide Notebook, que distribui ele aos seus cliente. Espero que não se importem da divulgação aqui. Assim, sempre que necessário, é possível retornar e consultá-lo.