quarta-feira, 3 de março de 2021

Machine Learning para detecção de doenças assim como o nariz dos cachorros

Estudos apontam que com treino, cachorros são capazes de detectar diversas doenças, utilizando seu aguçado olfato em amostras de urina dos pacientes. Essa tese já foi confirmada na identificação de tipos de câncer, como pulmão, mama, ovário, bexiga e próstata. Neste último, a taxa de acerto é de 99%. Além disso, também há indícios onde o faro dos caninos detectou até mesmo a presença de COVID-19 no material farejado.

Imagem: Medical Detection Dog

Segundo Andreas Mershin, pesquisador do MIT envolvido nos experimentos, nos últimos 15 anos, os cachorros têm se mostrado o método mais preciso para identificação de doenças. O cientista considera que o desempenho dos cães em testes controlados, em alguns casos, excedeu os resultados dos melhores e mais avançados exames laboratoriais, reconhecendo gêneros de câncer antes de qualquer outra tecnologia. Mershin acredita que a partir de uma variação, os animais são capazes de identificar outras, mesmo que não exista nenhuma característica em comum entre uma análise e outra.

Apesar da sua eficiência, treinar os animais para que se tornem especialistas no discernimento de enfermidades, leva tempo, sem contar que a disponibilidade deles é limitada. Levando em conta essas questões, aliada a eficiência observada, Mershin e seu time vêm trabalhando em um sistema que consegue analisar amostras com um nível de sensibilidade ainda maior que dos cachorros. Conectado a isso, está um processo de aprendizado de máquina (machine-learning) capaz de identificar as diferentes características apresentadas nos fragmentos avaliados.

O dispositivo que embarca esta aplicação, é implementado com sensores que atuam como receptores olfativos de um mamífero. O fluxo de dados coletado por esses componentes, pode ser tratado e analisado em tempo real, através de algoritmos desenvolvidos por meio de aprendizado de máquina. Isso proporciona a identificação de doenças muito antes dos regimes típicos de triagem. Os cientistas acreditam que, em um futuro próximo, este sistema automatizado de reconhecimento de odores, será pequeno o suficiente para fazer parte do hardware de um smartphone, obtendo o potencial para tornar-se tão comum como a existência de câmeras ou conectividade bluetooth, por exemplo.

Imagem: news.mit.edu

Andreas Mershin e um dos "colegas de pesquisa" caninos

Em uma bateria de testes, a equipe de Mershin já chegou a avaliar 50 amostras, entre as quais, estavam urina extraída de pacientes diagnosticados com câncer de próstata, assim como materiais livres de doença. Foram utilizados no experimento, cães treinados pelo Medical Detection Dog no Reino Unido e o sistema automatizado de detecção. Parte do processo consistiu em aplicar um algoritmo de aprendizado de máquina, a fim de descobrir as semelhanças entre os elementos testados, o que levou o software, ao testar as mesmas amostras, a igualar a taxa de sucesso dos cachorros, fazendo com que ambos os métodos alcançassem mais de 70% de assertividade.

Por meio de testes controlados exigidos pelo DARPA, Mershin indica, no que diz respeito a capacidade de identificar pequenos traços de moléculas, que o sistema é 200 vezes mais sensível que o nariz canino. Entretanto, quando trata-se de reconhecer essas partículas, é 100 vezes pior. Nessa etapa é que entra em ação a machine learning, no intuito de encontrar os padrões evasivos que os animais podem inferir do cheiro, mas os humanos não conseguem entender a partir de uma análise química.

Os avanços alcançados até aqui, afirmam os pesquisadores, oferecem uma base sólida para novas pesquisas no futuro, quem sabe com uma amostragem bem maior, o que potencializaria o desenvolvimento de uma tecnologia adequada para uso clínico.

Fonte: MIT News e SciTechDaily

domingo, 28 de fevereiro de 2021

Brasileiros estão em segundo lugar na propensão para problemas de visão

Segundo uma pesquisa realizada pela Lenstore, uma varejista especializada em lentes e demais soluções e acessórios na cadeia de ópticas, o Brasil estaria no segundo lugar na propensão para problemas relacionados a visão, causados pelo uso intenso de dispositivos com tela. Essas manifestações são definidas pelos entendedores como Computer Vision Symdrome (CVS) / Digital Eye Strain (DES), o que na tradução, trata-se de algo como Síndrome da Visão por Computador ou estresse visual.

Imagem: Freepik

O estudo envolveu 40 países, através do qual, buscou-se identificar a média de tempo gasto por uma pessoa, durante um dia, no uso de dispositivos como smartphones, computadores, TVs e consoles de vídeo game. Somente atrás das Filipinas com um total de 14,2 horas, o Brasil alcançou 13,4 horas por dia no uso desses dispositivos, seguido por Tailândia com 13,3 horas, África do Sul com 13 horas e México com 12,6 horas. A média diária no mundo é de 9 horas e 45 minutos. A seguir está o ranking detalhado considerando os 10 primeiros países.

Traduzido e adaptado de Lenstore (2020)

Nos 40 países em que a pesquisa foi desempenhada, a média de pessoas que possui um smartphone é de 94%. Este público faz um uso de 3,2 horas por dia no dispositivo.

No mundo, existem em torno de 5,2 bilhões de pessoas utilizando algum tipo de dispositivo móvel. A internet possui cerca de 4,5 bilhões de usuários no planeta. A partir disso, parece seguro dizer que todo usuário de smartphone tem acesso a internet, e que ainda há pessoas, possivelmente utilizando aparelhos mais simples, que não oferecem algum tipo de conexão.

Face aos dados apresentados, a pesquisa apontou que tipicamente, uma pessoa gasta 40% da sua vida utilizando a internet e pelo menos 6 horas e 43 minutos por dia navegando.

Média de uso nos países avaliados

O ensaio conduzido pela Lenstore, leva a crer que os aparelhos móveis são o maior ofensor da saúde ocular da população. Entretanto, muitos indivíduos ainda dividem seu tempo com outras telas. O quadro abaixo retrata a média de uso por aparelhos nos top 10 países avaliados.

Traduzido e adaptado de Lenstore (2020)

Apesar das preocupações que todos esses dados carregam, a maneira como vivemos no mundo atual, querendo ou não, demanda estarmos conectados. OK, talvez 14 horas por dia na vida de uma pessoa seja tempo demais, mas sem dúvidas, necessitamos de uma parte disso, pois para muitos trabalhadores é comum atuar em frente ao computador. Além disso, comunicação e lazer, uma vez que estamos em tempos de pandemia e o distanciamento social é exigido, também dependem do digital.

Mas o que fazer?

A Lenstore, ao concluir o seu estudo, recomenda algumas práticas que podem ser seguidas a fim de amenizar os danos causados pela CVS / DES. Entre as dicas, estão manter a tela do seu dispositivo a pelo menos um braço de distância dos olhos, aumentar o tamanho das fontes utilizadas nas aplicações e aplicar a regra do 20-20-20. Este princípio, consiste em a cada 20 minutos defronte a uma tela, olhar para um objeto que esteja a 20 pés de distância (aproximadamente 30,5 centímetros) e focar nele por 20 segundos. Conforme a fonte, isso alivia a exposição dos olhos ao brilho provocado pelos displays.

Fonte: Lenstore e ZDNet

terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

Tipos de Carreira: Líder ou Técnico

Certamente todo o indivíduo, em algum momento da sua vida, já se questionou ou mesmo foi questionado sobre o rumo da sua carreira. Para alguns, desde o início, é claro o caminho que mais lhe convém. Já para outros, o cenário vai clareando as poucos, conforme as experiências são vividas.

A esfera mais prática é o limiar entre posições de liderança e técnicas. Para isso, existem diferentes maneiras para um profissional posicionar-se, seja de forma planejada ou simplesmente na medida que as oportunidades surgem. A seguir, compartilho um quadro que elaborei sobre estes tipos de carreiras, diferenciando carreira em Y, X, W e linear.

clique na imagem para ampliar

Além desses quatro pontos de vista em relação as posições funcionais, também existe uma forma mais teórica de caracterizar a diversidade de carreiras existentes no mercado. Dentre elas, estão carreira corporativa, carreira do empreendedorismo, carreira de especialista e carreira sociopolítica, como bem definidas em um artigo publicado pelo site Administradores. Em uma outra publicação, mas esta feita pelo Mundo Carreira, cita-se também carreira burocrática e carreira acadêmica, que são tão notáveis quanto as demais.

E com isso, só posso dizer que feliz daquele que tem um plano de carreira bem definido, ou trabalha em uma empresa que apoie e ofereça o suporte adequado para traçá-lo e aplicá-lo. A gama de elementos correlatos que esse tema pode envolver é imensa. Realização profissional, equilíbrio entre trabalho, família e finanças, são só alguns deles. Por isso, toda a decisão deve ser bem lapidada antes de tomada, pois o reflexo e as consequências disso repercutem significantemente na vida profissional de cada um.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Um negócio chamado "programação ágil"

E aí, na sua empresa já tentaram esse negócio de "programação ágil"? 😆

Procura-se estagiário com experiência

Quando empregadores exigem 10 anos de experiência e o candidato não tem nem 20 anos

Tipo isso pra quem pede experiência até pra uma vaga de estágio. 😅

O perfil das gerações de profissionais

Houve uma época em que eu comentava bastante sobre gerações por aqui. Inclusive, tem até uma tag "geração y" que coloquei em vários destes posts. Esse assunto sempre me deixou curioso, pois há alguns anos, ainda na minha adolescência, eu pensava que havia nascido na época errada. Transcendia por mim um excesso de conservadorismo, não concordando com várias opiniões e atitudes de pessoas com a mesma idade da minha, tanto na escola quanto trabalho e faculdade.

Não digo que hoje isso mudou totalmente, mas é algo que não me incomoda mais tanto. Deixou de ser meu foco observar, e mesmo que implicitamente, criticar esse pessoal. Entretanto, sigo curioso na observação dos seus comportamentos nas relações de trabalho. 

Há alguns meses, participei de um webinar no trabalho, onde esse tema foi pauta. Com isso, resolvi criar o quadro abaixo, ilustrando as gerações e suas individualidades.

clique na imagem para ampliar

Dentre as lições que tirei desse evento que comentei, é a razão para agrupar pessoas em grupos. O motivo disso é que seus membros são ou foram impactados pelo mesmo contexto social e econômico. Através desse ponto de vista, a maior parte das evidências sugere que indivíduos de diferentes gerações compartilham de um número considerável de preferências e valores.

Muito se pode falar sobre esse conteúdo e é fundamental que o principal vetor pra isso nas organizações, sejam as áreas de RH e gestão de pessoas. Seu papel é criar programas e iniciativas que visem engajar e orientar a convivência entre as diferentes gerações, a fim de encontrar um "denominador comum" para que todos sintam-se prestigiados e entreguem sempre o seu melhor.

domingo, 7 de fevereiro de 2021

Aprendendo mais sobre baterias de notebook

Já faz mais de um ano que meu velho notebook HP 420 arriou a bateria. Eu pouco utilizo ele, mas como é uma instalação antiga do Windows 10, eventualmente preciso acessá-lo para buscar arquivos ou usar algum software que tenho instalado apenas nele. Sempre que necessário, precisava ficar pendurado próximo a uma tomada. Por isso, alguns dias atrás, mesmo sabendo que é um notebook antigo, resolvi ceder e comprar uma bateria nova pra ele.

Manual de Instruções de Garantia —  Informações sobre baterias de notebook e boas práticas de uso

Fiz a compra pelo Mercado Livre e essa semana recebi o produto. Para minha surpresa, a loja enviou junto um "manual de instruções de garantia". Mas na verdade, achei mais semelhante a um livreto explicativo sobre baterias de notebooks. Como o conteúdo trata sobre boas práticas também, está aí a razão por relacionarem com garantia. Entretanto, achei as informações tão bem esclarecidas e expostas de uma forma clara e resumida, que quero compartilhar alguns trechos por aqui.

Células, capacidade de carga  e autonomia
 
Ciclo de carga, compatibilidade (Part Number — P/N) e variação de tensão

Primeira utilização da bateria e calibragem das células
 
Bacana, não? Deixo aqui publicado para a posteridade, mas obviamente os créditos são da Neide Notebook, que distribui ele aos seus cliente. Espero que não se importem da divulgação aqui. Assim, sempre que necessário, é possível retornar e consultá-lo.

domingo, 31 de janeiro de 2021

Multiplayer nos anos 90

Cena clássica das aulas de informática na escola, naqueles últimos minutos quando a professora liberava pra uma rápida jogatina. O mesmo acontecia quando os primos ou os amigos nos visitavam e a mãe deixava "ir mexer no PC". 😊

Novos cartuchos ou uma nova impressora?

Não vou dizer sempre, mas no mínimo nos últimos 10 anos, por menor que fosse uma empresa, o custo de uma impressora deskjet não compensava em relação a uma laserjet. Isso diz respeito tanto na autonomia quanto na agilidade para realizar as impressões. E sem falar na manutenção. 

Apesar do valor de aquisição de uma deskjet ser bem inferior quando comparado com uma laserjet, a longo prazo, a economia não compensa. Exceto para uso doméstico, e também, depende muito da situação, finalidade e demanda, pois em alguns casos, uma impressora a laser pode ser bem-vinda até mesmo em casa.

Compraré una nueva impresora

O quadrinho acima me lembrou da primeira impressora que tive, uma Lexmark Z43. Logo depois que ganhei meu primeiro computador, em 2002, meu pai comprou ela. Era a mais barata da loja, acho que custou em torno de R$ 350,00 reais. 

Na época, nós não entendíamos nada do assunto e também não procuramos saber antes da aquisição. Até aí tudo bem, ela imprimia direitinho e tal. O problema foi na hora que acabou a tinta. Descobrimos que havia um único slot de cartucho, portanto, no momento da compra, uma escolha deveria ser feita: um cartucho colorido (que também imprimia em P&B) ou um cartucho apenas preto. No entanto, ambos custavam mais de 1/4 do valor da impressora. A recarga não era uma opção, pois o cartucho possuía um chip, que durante o procedimento, o risco de danificá-lo era muito grande (aconteceu com o cartucho original que tínhamos).

O resultado foi comprar uma nova impressora. Meu pai optou por uma usada. Pagou R$ 50,00 reais por uma Epson Stylus Color 640. Se fosse nova, essa seria mais cara que a anterior, pois os cartuchos eram mais simples (não tinham chip), o que facilitava na hora da recarga, e até mesmo os novos, também eram mais baratos.

Graças a todo o esforço e preocupação dos meus pais, sempre consegui imprimir meus trabalhos da escola nessas impressoras. Às vezes passava por um e outro perrengue, como por exemplo, quando era necessário calibrar os cartuchos. Não era um procedimento complexo, mas era bem chatinho, visto que nem sempre ficava bom na primeira tentativa e eu acabava percebendo só quando já havia enviado um texto para impressão.

Por fim, pra quem quer voltar alguns anos no tempo e saber mais sobre impressoras antigas, inclusive sobre a Lexmark que comentei nessa postagem, achei esse link. Por sinal, todo o layout do site é bem retro e pelo que percebi, a última atualização foi em 2005, o que pressupõe bastante nostalgia.

Áreas organizadas por clareza

Sociologia ➔ Psicologia ➔ Biologia ➔ Química ➔ Física ➔ Matemática

Seja lá quem chegar até esse post, em primeiro lugar, quero esclarecer que isso não trata-se de uma crítica. Entenda-se com o criador original do conteúdo, pois eu não encarei assim e estou replicando apenas porque achei que faz sentido. 😆

Em segundo, não estou estou considerando a análise em relação a dificuldade ou complexidade de uma ou outra área de estudo, mas sim, no quão claro e exato ela é, uma vez que quanto mais humano e orgânico, penso que maior poderá ser a variação dos resultados.

Fonte: xkcd

Um dia essas fontes serão suas

"Um dia, filho, todos esses belos e funcionais adaptadores AC/DC, que continuaram funcionando, além da vida útil dos produtos para os quais eles foram originalmente desenvolvidos, serão seus."

Só quem conhece sabe a utilidade que uma fonte boa pode ter na vida da gente. 😅😅😅

sábado, 30 de janeiro de 2021

Essa instalação está levando muito tempo

O que fazer quando a instalação de um programa leva muito tempo?


Use como referência o cursor do mouse para acompanhar a barra de progresso. Se ainda estiver mexendo, não aborte o instalador, pois a possibilidade de finalizar existe. 😅

Só coisas de robô

O que os robôs fazem quando os humanos não estão por perto?

Aham, só "coisas"de robô mesmo. 😂

Buffer Overflow e Dia do Quadrinho

Quem nunca transitou por um cômodo e outro dentro de casa e no meio do caminho esqueceu o que estava indo pegar? Pois é, comigo, isso acontece com frequência. 😅


Em computação, quando um espaço de memória recebe mais dados ou solicitações de leitura do que consegue suportar, ocorre algo que é chamado de buffer overflow. Alguma semelhança comigo e com o quadrinho? 😆

Dia do Quadrinho

Os quadrinhos são uma peça fundamental na vida das pessoas. Como os exemplos acima, seu conteúdo é um reflexo do cotidiano. E não é por menos que hoje é celebrado o dia da sua existência.

A origem desta data foi a publicação da obra "As aventuras de Nhô-Quim ou Impressões de uma Viagem à Corte", produzida por Angelo Agostini. Essa produção é considerada a primeira história em quadrinho brasileira e foi publicada em 30 de janeiro de 1869.

Em 1984, por meio da Associação dos Quadrinistas e Cartunistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP), foi promulgado que no dia 30 de janeiro seria comemorado o Dia Nacional do Quadrinho, homenageando assim o trabalho de Agostini.

Com informações Calendarr

domingo, 24 de janeiro de 2021

Será que estou entre os 220 milhões de brasileiros com dados expostos?

Estava lendo sobre o vazamento de dados que expôs 220 milhões de brasileiros, envolvendo elementos como, CPF, vínculo familiar, ocupação, endereço, telefone, score de crédito, renda, classe social, poder aquisitivo e várias outras coisas.

Dados pessoais de 220 milhões de brasileiros foram expostos

Provavelmente, algumas dessas informações, nem mesmo os proprietários saibam ou tenham fácil acesso. Por exemplo, eu não sei em qual classe social estou inserido e nem mesmo qual o nível do meu poder aquisitivo — será que é baixo, médio ou alto? Por isso, os especialistas recomendam que a população fique ligada e monitore toda e qualquer movimentação possível, no intuito de identificar algum comportamento inesperado.

Segundo dados do IBGE, a população brasileira em 2018 estava em 209,5 milhões de habitantes. Isso significa que, se realmente houve o vazamento para a quantidade de pessoas mencionada, constam na base divulgada, até mesmo indivíduos já falecidos.

Obviamente fiquei preocupado, pois recentemente meu Caixa Tem foi fraudado, e há 2 anos, tive um cartão de crédito clonado. É uma uma mistura de sensações como exposição, impotência e frustração, sentidas quando algo assim acontece.

Have I Been Pwn?

Com isso, lembrei do "Have I Been Pwn?" (HIBP). Trata-se de um site, criado em 2013 por Truy Hunt, que busca indexar dumps de dados, que contenham informações privadas dos usuários de um determinado serviço, e que foram vazadas, muitas vezes através da exploração de brechas de segurança na estrutura das aplicações. Acessando o HIPB, basta digitar o endereço de E-mail que você geralmente usa na criação das suas contas, para que resulte em algum dado seu que já foi vazado por um sistema na internet.

Os caracteres ';-- que compõem o logotipo do site referem-se a uma string de SQL Injection, enquanto que pwned é um termo cuja tradução significa o comprometimento quanto ao controle de um sistema ou serviço.

Sei que para uma situação como a relatada no início dessa postagem, talvez o HIPB não ofereceria um proveito imediato. Até porque, já se sabe o que vazou, apesar de ainda não estar claro quem foi prejudicado. Caso o site tenha acesso ao dump, aí a coisa muda e quem sabe ajude. Então, vale para conhecimento. Em todo o caso, falta agora confirmar a origem das informações vazadas para que as ações necessárias sejam tomadas, mas mesmo assim, seja lá quem ou o que falhou, a cagada já está feita, ficando a cargo das pessoas se cuidarem e torcerem para não serem pegas de surpresa.