terça-feira, 19 de agosto de 2014

Pai e filho recebem carta "offline" do Google

Dizem que na internet tudo é possível e fora dela, bem, quase tudo. Por isso, a dupla Michael Wiethe e seu filho Timm resolveram enviar uma carta para o Google, escrita a punho, alegando que estavam em um acampamento de verão e sem internet. O guri queria saber sobre a existência de uma tal espécie de esquilo, famosa em histórias contadas pela região. O caso ocorreu na Alemanha e a carta dizia mais ou menos o seguinte:


"Querido Google,

Como estamos sem internet atualmente, pedimos que você responda a uma consulta, do seu jeito rápido e gratuito de sempre. Precisamos de informações e imagens para:

'Deichhörnchen (esquilo-vermelho)'

..."

Por incrível que pareça, o Google respondeu a carta, utilizando os mesmos recursos manuais do remetente, escrevendo algo assim:


"Olá Timm, olá Michael!

Você quis dizer "Eichhörnchen"?

Resultados para Deichhörnchen

Wikipédia: (como não existe esse animal, o autor da carta inventou um "primo distante" para o animal) Raro parente do Eichhörnchen (esquilo-vermelho) extinto devido à falta de árvores nos diques ("Deich" significa "dique")

Anúncio: Use o Google para todas as suas buscas - de preferência, online!

Aproveite o acampamento de verão!

Equipe offline do Google (beta)"

E olha que você nem sabia que o Google tinha uma equipe offline.

Claro que a história parece "engraçadinha" demais pra ser verdade, mas Michael Wiethe jura que não é parte de nenhuma jogada de marketing, confirmando que o caso ocorreu realmente.

Fonte: indicado pelo Jabel Fontoura via ZH Tecnologia

domingo, 17 de agosto de 2014

Carga completa

"Bichano está com a carga completa"

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Vale esse computador?


Parece que esse vivente manja bastante dos paranauê de informática...

Fonte: compartilhado pelo Marcelo Leal

domingo, 10 de agosto de 2014

Vivo mente e despreza seus clientes e funcionários

No início do mês foi tornada pública uma atitude incrivelmente repugnante por parte da Vivo, tanto contra seus colaboradores quanto seus clientes. O caso ocorreu em uma loja da operadora no shopping Iguatemi em Porto Alegre / RS, onde toda a equipe foi instruída a dizer aos clientes interessados em planos pré-pagos que o sistema estava fora do ar para essa modalidade e somente habilitações nos planos controle e pós-pagos eram possíveis. A prática foi aderida devido ao baixo retorno financeiro que esses planos geram para operadora, além das comissões dos vendedores que são desconsideradas nessas vendas.


Uma das vendedoras da loja ficou revoltada ao perceber um cliente que recebeu a mesma informação enganosa por dois dias consecutivos ao tentar adquirir um aparelho novo e aderir ao plano e resolveu atender a pessoa. Durante o atendimento, a vendedora foi criticada pelos colegas e pelo próprio supervisor da loja em frente ao cliente. Desolada, a funcionária acabou saindo mais cedo do trabalho e seguiu de licença médica nos dias seguintes, alegando estresse e ansiedade devido a situação constrangedora que passou no trabalho. Quando voltou, a funcionária foi despedida.

A ex-vendedora recorreu a justiça e conforme a 3ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (RS) o caso ficou definido como assédio moral e violação da liberdade de consciência da funcionária, um direito protegido pela Constituição Federal. A Vivo deverá pagar R$ 50 mil reais como indenização, mais os salários correspondentes aos 12 meses de trabalho que a colaboradora teria de garantia devido a doença gerada pela ocupação.

O juiz convocado Marcos Fagundes Salomão tomou como base a reclamação enviada pelo cliente citado a gerência da loja, descrevendo a situação. O juiz também ouviu um ex-colega da autora, quem confirmou toda a situação.

Fonte: Gizmodo e TRT4

sábado, 9 de agosto de 2014

Versão abaixo / superior do seu sistema


Só pode ser o Confúcio´s Sobrinho que editou esse alerta.

Zueira dos jogos antigos


Bichano (preto): Sim! Finalmente eu consegui meu PS Vita! O top dos consoles de vídeo games portáteis!
Bichano (preto): Ei, menino, o que está jogando?
Bichano (branco): Pokémon.
Bichano (preto): O primeiro? No Game Boy original?
Bichano (branco): Aham.
Bichano (preto): Posso jogar depois? 

Saudosistas são os melhores...

domingo, 3 de agosto de 2014

Usando o Multilaser Titanium, um smartphone Android limitado

Havia pensando em escrever uma análise sobre esse aparelho. Mas aí fiz meio que uma consideração as análises que outros blogs escrevem sobre smartphones e percebi que nunca a minha análise chegaria aos pés das que os outros fazem, principalmente porque ninguém quer saber sobre um aparelho furreca como o Multilaser Titanium e só eu mesmo pra comprar um negócio desses. Mas acredite, eu tenho os meus motivos.


O maior destaque desse aparelho fica por conta do seu design, por incrível que pareça, ele é elegante, possui bordas bem acabadas e definidas, alinhado a sua tela de 4,3 polegadas com 800 x 480 pixels de resolução. O processador de 1 Ghz não agrada (poderia ser no mínimo dual core) e os 512 MB de memória RAM engasgam pra rodar o Android 4.0.4, versão nativa e que nunca vai receber uma atualização, pois provavelmente o fabricante não está nem aí pra isso. O armazenamento interno é de 4 GB, divididos em dois storages de 2 GB cada, um para o sistema operacional e aplicativos e outro para arquivos multimídia, além de um slot para cartão de memória micro SD de até 32 GB. A câmera de 3 MP com flash de LED é desprezível, então, nem convém falar dela. Existe uma câmera frontal de 1,3 MP, para vídeo chamadas (e selfies???) que acaba sendo até melhor que a câmera traseira. A bateira de 1600 mAh aguenta o tranco, funcionando por dois dias inteiros com uso razoável da rede de dados e wireless. O aparelho possui GPS, bluetooth, conexão 3G e entrada para dois chips no padrão normal.


A versão sinalizada acima do Android roda razoavelmente bem no aparelho, atentando para usar o mínimo de aplicativos necessários rodando ao mesmo tempo e com relativa paciência para abrir alguma coisa mais pesada. O Clean Master adquirido via Google Play é uma mão na roda para gerenciar a quantidade de RAM disponível, "matando" processos ociosos e sem utilidade, além de gerenciar o limitado espaço em disco, excluindo arquivos desnecessários a cada ciclo.


Agora que vem os esclarecimentos. Falar bem ou falar mal do Android não é o objetivo, muito menos do seu concorrente, o Windows Phone. Mas comprei o Multilaser Titanium porque estava de saco cheio de usar o WP. Sua enxuta gama de aplicativos oficiais e a enxurrada de coisas inúteis disponíveis na WP Store, atrelado a travamentos constantes nos aplicativos que mais uso, estavam causando irritação, apesar de ainda acreditar no sistema e aguardar a atualização para WP 8.1 antes de voltar a usar o aparelho. Talvez a pergunta que não quer calar é "porque sair de um aparelho bom com sistema operacional ruim pra um aparelho ruim com sistema operacional bom?". Digamos que o principal motivo pode ser definido como custo.

Apesar de todas as limitações, a experiência de usar o Multilaser Titanium está sendo menos ruim do que parece. Em uma escala de 0 à 10, o desempenho do Titanium fica em 5. Mas a sensação de usar novamente um sistema estável e compatível com uma boa gama de soluções reconhecidas é interessante. 

Openstack Day / 4th Openstack Birthday

No último sábado (não ontem, mas na semana passada, no dia 26 de julho) ocorreu o Openstack Day / 4th Openstack Birthday na FTEC em Porto Alegre. O evento reuniu cerca de 40 ativistas da comunidade de Openstack no Brasil e no mundo, pois além de gente de diversas partes do país, o encontro recebeu participantes do Uruguai e EUA.

A programação decorreu com cinco palestras principais, divididas entre dois coffee breaks e almoço, além de uma celebração especial no fim do evento, em comemoração aos quatro anos da ferramenta, desde que foi desenvolvida pela NASA e Rackspace Hosting em 2010, mais tarde sendo assumida pela Openstack Foundation em 2012. As palestras seguiram a linha de gente que utiliza a aplicação como ferramenta de trabalho, trazendo seus próprios cases envolvendo implementação e desenvolvimento baseado no ambiente e experiências que podem auxiliar quem já usa a ferramenta e pensa em melhorias, ou ainda, simplesmente quem está pensando em começar.


A introdução ao ciclo de palestras partiu do Marcelo Dieder, organizador do evento e embaixador do Openstack no Brasil, falando sobre a fundação e o próprio projeto. A HP trouxe dois palestrantes que conseguiram demonstrar o envolvimento da empresa com o projeto. O primeiro, Gustavo Knüpe, quem falou sobre Openstack pré-configurado em máquinas virtuais e o segundo foi o americano Rajeev Pandey, quem falou sobre o HP Helion, uma derivação da ferramenta, desenvolvida pela própria HP, explorando novas funcionalidades e recursos. Renato Armani da Dualtec Cloud Builders falou sobre a criação e o gerenciamento de recursos baseados em ambientes Openstack, aproveitando a visão periférica do Foreman, uma ferramenta voltada para o gerenciamento de serviços e recursos de máquinas virtuais e físicas. E Fábio Pinna da PSafe Tecnologia (sim, você leu certo, PSafe, aqueles do antivírus), descreveu sua experiência após montar um ambiente de block storage de alta performance utilizando Linux e gerenciamento com Openstack.


Graças ao patrocínio da Dualtec, SERPRO, HP, Associação Software Livre, FTEC e voluntários, o evento foi muito bem organizado, desde a estrutura oferecida pela faculdade, as palestras e os petiscos, até os fotógrafos e as camisetas que cada participante recebeu, uma na cor cinza e outra idêntica na cor preta, tudo feito no capricho.


Mesmo não fazendo diretamente parte da comunidade ou mesmo não usando a ferramenta ao ponto de conseguir entrar em uma discussão célebre com um usuário avançado, acaba sendo sempre bom participar desses eventos. Essa pode ser uma boa oportunidade para guinar na carreira, atentando a um novo interesse ou apenas conhecer gente nova, socializar, ouvir histórias e extrair um pouco de conhecimento. Para saber mais sobre o Openstack, visite o site oficial do projeto.

sábado, 2 de agosto de 2014

Um simulador espacial (para crianças)

Ele só queria oferecer um pouco mais de diversão para o filho mais velho brincar depois da aula, e aproveitando que o guri estava precisando de uma escrivaninha nova, Jeff Highsmith do site Makezine, construiu um modelo totalmente personalizado, uma verdadeira central de controle espacial, o que ele chamou de Mission Control Desk:


Segundo Jeff, a ideia surgiu depois que ele e os filhos visitaram o Centro Espacial John Kennedy no Cabo Canaveral na Florida, durante uma viagem de férias. E o projeto não parou por aí, pois quatro meses após a construção da central, Jeff finalizou uma verdadeira réplica da Apollo 11, a qual é operada pelo filho caçula, no quarto ao lado de onde o irmão controla as missões:


Em ambos os projetos, Jeff utilizou Arduino e Raspberry Pi para gerenciar os luminosos indicativos nos painéis, além dos sons, que aprimoram a sensação de realidade e a brincadeira da gurizada.

Mission Control Desk

Spaceship

Na espaçonave, o Raspberry também é responsável pela interface entre um pequeno braço mecânico e um joystick, o qual, diante dos comandos, simula o lançamento de um satélite em órbita. Um sistema de comunicação em audio permite que os garotos possam interagir durante a missão.

O detalhamento de todo o processo da Mission Control Desk e da Spacecraft pode ser conferido no Makezine.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Canal 3 para vídeo games

"Eu cresci na época que a gente tinha que colocar no canal 3 da TV pra jogar vídeo game."

Fonte: 9GAG via Instagram

RESULTADO DO SORTEIO: Licenças do Privacy Suite 15

Antes tarde do que nunca, pois havíamos prometido o sorteio das licenças ainda pra ontem (31/07), mas devido a alguns incidentes que não convém detalhar aqui, acabamos conhecendo os ganhadores da nossa promoção apenas hoje.


Portanto, através da aplicação Sorteie.me disponível na nossa página no Facebook, identificamos os leitores Eduardo Evangelista dos Santos e Laura Moraes como vencedores, cada um deles recebendo uma licença do Privacy Suite 15. O resultado da promoção pode ser conferido aqui.


Parabéns Eduardo e Laura! Solicitamos que a partir de agora decorrendo o prazo máximo de 48 HORAS, vocês enviem uma mensagem para identificação através do nosso FORMULÁRIO DE CONTATO para que possamos registrar os dados e encaminhar as chaves do produto. Esperamos que façam bom proveito da ferramenta.

Agrademos todos os participantes, em especial a Steganos e sua assessoria, responsáveis por fornecer as licenças.

Muito obrigado e continuem acompanhando o blog!

terça-feira, 29 de julho de 2014

Estado civil na era digital


Pensando assim, até que nem muda muita coisa...

domingo, 27 de julho de 2014

Procura-se palestrantes para o Dia da Liberdade de Software 2014

Sem alterações na chamada original, apenas divulgando e esperando o envio de trabalhos da galera que estiver disposta para palestrar no evento:

Chamada de trabalhos para o Dia da Liberdade de Software 2014 em Novo Hamburgo


O grupo de usuários SoftwareLivreVS está aceitando propostas de palestras para o Dia da Liberdade de Software 2014, a ser realizado em Novo Hamburgo, no dia 04/10, das 13:00 às 17:00, na Universidade Feevale.

Você pode enviar a sua proposta de apresentação atendendo os seguintes requisitos:
  • Os trabalhos propostos devem ser sobre Cultura / Hardware / Software Livre.
  • As palestras terão duração de 45 minutos, incluindo tempo para perguntas.
Os palestrantes serão voluntários e receberão um certificado pela palestra e / ou oficina ministradas.

Para submeter propostas de palestras, envie um e-mail para dls2014@softwarelivre-vs.org, com os seguintes dados, até o dia 22/08:
  • Título da palestra
  • Resumo da palestra (1 parágrafo)
  • Nome do palestrante
  • Mini-currículo do palestrante (1 parágrafo)
  • Número do celular do palestrante
  • Endereço de e-mail do palestrante
Caso tenha alguma observação, especifique no e-mail.


"Bora" lá! Envie aquela proposta!

Como os computadores nascem


Na verdade é mentira. Mas considerando que eu sou da época que as cegonhas entregavam as crianças na porta de casa, isso faz bastante sentido.

Fonte: 9GAG via Instagram

quinta-feira, 24 de julho de 2014

A evolução da TV

Não tem muito o que comentar sobre a imagem abaixo. Ela retrata de forma sucinta a evolução dos aparelhos de TV, iniciando na Octagon produzida pela General Electric em 1928, um modelo de apenas 3 polegadas baseado no funcionamento mecânico, até o surgimento das telas de plasma e LCD da Samsung por volta de 2007.

clique na imagem para ampliar

O curioso da matéria original que abordou o assunto é retratar que em 1946 apenas 6 mil aparelhos de TV eram utilizados nos EUA, saltando para 12 milhões, poucos anos depois, em 1951. E conforme as análises, em 2011, 96,7% dos lares americanos possuíam ao menos um aparelho de TV, decorrente de uma relativa queda sofrida nos últimos anos, pois em 1991, esse índice era de 98,9%.