domingo, 26 de outubro de 2014

O negócio de alugar iPhones pra usar na balada

Eu até pensava que ter um iPhone nem era mais sinônimo de tanta ostentação, afinal, a gente observa pelas ruas e muita gente já anda com seu aparelho da Apple, mesmo sendo o modelo 4 ou 4S ainda, os mais antigos e baratos, mas iPhone é iPhone. 

O fato é que tem gente, como o editor de vídeos, Marco Aurélio Constantino, que resolveu tirar um trocado alugando iPhones. O público-alvo é quem tem aparelhos mais simples e quer fazer bonito, chamando a atenção na balada. Marco possui uma "frota" composta por quatro iPhones 5 e um iPhone 5S e costuma cobrar entre R$ 120 reais (iPhone 5) e R$ 170 reais (iPhone 5S) pelo aluguel durante o fim de semana. O rapaz diz faturar mais de R$ 2 mil reais por mês com o aluguel dos aparelhos.

Tiago Torres (esq.) e Marco Aurério (dir.) negociando o aluguel do aparelho

Segundo o estudante Tiago Torres, um dos clientes de Marco, alugando o modelo 5S, a intenção é aparecer com o aparelho na Festa do Boi, que ocorre em Parnamirim na região metropolitana de Natal (RN). Tiago diz que está ansioso para usar o aparelho na festa, pretendendo chamar a atenção das meninas com o modelo.

Marco completa afirmando que muita gente aluga os aparelhos para tirar aquela selfie no espelho da academia usando o aparelho e a maioria dos garotos retorna contando que conseguiu conquistar certa menina depois que apareceu com o iPhone alugado.

sábado, 25 de outubro de 2014

Peixe Urbano agora é dos chineses

Muitos técnicos em informática, inclusive eu, tem o hábito de criticar o Baidu e todas as suas dependências instaladas por livre e espontânea "pressão" nos computadores dos usuários, boa parte das vezes, comprometendo a integridade e usabilidade do sistema operacional. Mas vale lembrar que o Baidu é o buscador mais usado na China, possuindo 80% do mercado de buscas, e por motivos óbvios, apelidado de "Google chinês".


No início do mês, a Baidu anunciou a aquisição do famoso site de compras coletivas, Peixe Urbano, classificado entre as maiores empresas de internet do Brasil, fundada em 2010 e hoje com uma média de 25 milhões de usuários cadastrados, 30 mil empresas parceiras e operações em 40 cidades do país.

O investimento da chinesa no país já foi premeditado em julho de 2014, durante a visita do presidente da China, Xi Jinping, e do CEO e fundador do Baidu, Robin Li, ao Brasil. Na ocasião os representantes sinalizaram que estavam previstos investimentos na casa dos 120 milhões de reais no país, ao longo dos próximos três anos. Especulações indicam que parte desse valor foi usado na aquisição do Pexe Urbano.


A administração do Baidu informou que não vai alterar o quadro de funcionamento da empresa adquirida, inicialmente servindo de aporte a brasileira, principalmente nessa nova etapa, na qual o Peixe Urbano está migrando do modelo de compras coletivas e passando a atuar no comércio eletrônico local, com modalidades diferentes de ofertas, conforme anunciado pelo seu CEO, Julio Vasconcelos, em outubro de 2013.

O primeiro passo da Baidu no Brasil ocorreu na metade de 2012 quando a empresa lançou a versão em português do diretório de links Hao123. A primeira versão do site possuía suporte apenas ao chinês, porém, mais tarde, com a consolidação de em centro de pesquisas em Cingapura, onde são realizadas traduções para português, árabe, tailandês e vietnamita, a presença em outros países foi possível.

5 anos de Geek Fail

Esse ano está sendo deverás de muitas conquistas e mudanças na minha vida, fruto de muito empenho, trabalho e uma visão renovada do mundo. Estou feliz, mas ao mesmo tempo, sinto um certo desprezo, incitado a dizer que o Geek Fail não fez parte da maioria dessas reformas. Apesar de conseguirmos manter a periodicidade nas postagens, sempre abordando de forma peculiar, constante e tentando agregar a nossa marca em cada texto publicado, como sempre fizemos desde o início, algumas coisas acabaram sendo perdidas. Não convém tornar esse texto um montante de justificativas, mas comparado aos anos anteriores, desse vez nossa celebração está bem mais singela.


Ao longo desses 5 anos tivemos mais de 1080 artigos publicados, recebemos uma média mensal de 1300 visitantes e nossa página no Facebook resguarda mais de 400 membros. São números limitados, nós sabemos, mas ficamos imensamente felizes a cada acesso registrado e agradecemos muito quando os amigos chegam até nós e comentam sobre algum trabalho publicado ou fazem alguma sugestão quanto aos próximos assuntos que poderemos abordar.


Hoje celebramos meia década de trabalho e posso afirmar que é uma grande conquista para um blog nas proporções do Geek Fail. O nosso diferencial para chegar até aqui é manter um ciclo constante de atividades, pois aqui nós registramos o nosso desejo em compartilhar com os demais nerds e geeks um propósito em comum; falar sobre tecnologia. 

Agradeço de coração a sua visita, caro leitor e amigo, e convido você para continuar conosco por mais 5, 10, 15 anos ou pelo tempo que a internet ainda permitir.

Um forte abraço,

Joatan Fontoura
Editor Geral e Criador

domingo, 19 de outubro de 2014

Evolução dos cartões micro SD

Não é merchandising pra SanDisk, não. A referência da marca é porque ela foi a criadora do padrão de cartões de memória micro SD e até hoje continua surpreendendo com a capacidade de armazenamento desse recurso:

clique na imagem para ampliar

Fonte: Canal Tech

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Não digite

"Digite as duas palavras: não digite"

domingo, 12 de outubro de 2014

Ficou mosqueando e perdeu o Dia da Liberdade de Software?

Bom, se você perdeu eu não posso fazer nada. E além de rir da sua cara, compartilho as palavras publicadas na página do Software Livre VS no Facebook, o que basicamente define o evento como um grande sucesso:


Mas pra não guardar rancor no coração e quem sabe da próxima vez contar com a sua presença, compartilho o audio do programa 50 Minutos da Radio ABC 900 aqui de Novo Hamburgo, gravado uma semana antes do evento, no dia 22/09/14, o qual contou com a participação do Maicon Strey, membro do grupo e da comissão organizadora, entrando em um bate-papo muito legal sobre software livre. Para conferir basta clicar aqui.

O evento também contou com a cobertura da TV Feevale e do Jornal NH. Abaixo segue a reportagem em vídeo produzida pela Feevale:


E a matéria publicada pelo jornal:

clique na imagem para ampliar

Arrependido por ter perdido esse baita evento?

Não esquenta! Ano que vem tem mais...

Comparativo entre pendrives (micro USB) Kingston e SanDisk

A popularidade dos tablets e smartphones é um caminho sem volta. As pessoas já tomaram um apego tão grande por esses aparelhos que muitos usuários já subutilizam seus notebooks e desktops, recorrendo aos grandões apenas quando precisam trabalhar em algo mais específico, se não, as telas menores e responsivas ao toque são suficientes.

Para atender esse público em termos de backup, compartilhamento de arquivos e expansão de memória, considerando que alguns aparelhos chegam ao mercado sem suporte a cartões de memória, no início do ano (mais precisamente em meados de março de 2014) a Kingston e a SanDisk lançaram suas linhas de pendrives híbridos, disponibilizando tanto uma conexão USB normal para uso no computador e uma micro USB para uso no tablet ou smartphone.



E pensando em apontar as diferenças entre dois modelos dessas fabricantes, desenvolvemos alguns testes e comparativos que podem ajudar você na escolha da melhor opção.


Disponível nas versões 8 GB, 16 GB, 32 GB e 64 GB, o modelo possui um design elegante e resistente, possuindo as dimensões 2,76 cm x 1,64 cm e 0,86 cm e a partir da versão de 16 GB, oferecendo também a opção com tecnologia USB 3.0, bastando escolher na hora da compra.


O modelo testado foi a versão de 8 GB, seguindo critérios de leitura e escrita, utilizando como exemplo um arquivo no formato ".iso" com 674,2 MB de tamanho, tanto no tablet quando no PC, testes que apresentaram os seguintes resultados:


  • PRÓS: Design, tamanho e velocidade na leitura de arquivos. Acompanha uma cordinha para amarrar na carcaça.
  • CONTRAS: A conexão micro USB não encaixa com precisão no dispositivo e possui baixa velocidade de escrita comparado ao modelo da SanDisk.
  • PREÇO (encontrado): R$ 29,90 reais.

[SanDisk Ultra Dual Drive USB]

Disponível nas versões 16 GB, 32 GB e 64 GB, o modelo é um pouco maior que a opção da Kingston, possuindo as dimensões 3,68 cm x 1.98 cm x 1,92 cm. Claro que o gosto depende muito do freguês, mas em termos de design, a Kingston caprichou um pouco mais, enquanto a SanDisk não pensou em economizar no tamanho.


O modelo testado foi a versão de 16 GB, também seguindo critérios de leitura e escrita e utilizando como exemplo um arquivo no formato ".iso" com 674,2 MB de tamanho, tanto no tablet quanto no PC, apresentando os seguintes resultados:


  • PRÓS: Maior velocidade de escrita comparado ao modelo da Kingston. Na Google Play é possível baixar o aplicativo SanDisk Memory Zone, a partir do qual é possível gerenciar suas unidades de armazenamento, fazer backups e afins.
  • CONTRAS: O contorno que protege as conexões, servindo como uma "capinha", costuma não travar com precisão.
  • PREÇO (encontrado): R$ 65,00 reais.

USB OTG

É importante lembrar que antes de sair tentando utilizar algum desses modelos de pendrive no seu smartphone ou tablet é necessário verificar se o seu dispositivo possui suporte ao padrão USB On The Go (OTG), recurso que permite habilitar a função de "host-mestre" no aparelho, o que faz que sua interface micro USB funcione como entrada para ler outros dispositivos e não apenas saída, como muitos aparelhos disponíveis no mercado são limitados.

Enfim Netflix funciona no Linux

Desde a última sexta-feira (10/10/14) é possível fazer streaming de conteúdos do Netflix no Linux, sem truques ou gambiarras, coisa que não era possível até então e restringia os usuários do serviço ao uso de Windows ou mesmo Mac OS.


Oficialmente a compatibilidade ainda ficou restrita ao Ubuntu nas versões 12.04 LTS, 14.04 LTS ou superior e distribuições baseadas no próprio sistema, como o Mint, todas atreladas ao navegador Google Chrome na versão 37. Segundo fontes, o recurso está disponível graças a uma parceria da Canonical, empresa por trás do Ubuntu, e a Google, entrando em um consenso sobre os requisitos para rodar a locadora virtual com a união das plataformas. Entre as implementações está a biblioteca NSS (Network Security Services) aplicada nessa última versão do Chrome. E conforme a Fedora Magazine, sem muitos detalhes, o Fedora também entrou para o time de distribuições que rodam Netflix no Chrome 37, o que leva a entender que é só uma questão de tempo para as demais distribuições também receberem a adequação.

Em setembro, Paul Adolf da própria Netflix, comentou sobre a implementação de HTML 5 no lugar do Microsoft Silverlight para suporte a plataforma multimídia, mudança que permitiria o recurso chegar até o Linux.

sábado, 11 de outubro de 2014

Quando você descobre que esqueceu seu celular

"Aquele momento quando você senta no vaso e descobre que esqueceu seu celular"

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Oi Galera: Um chip 3 em 1

Na última segunda-feira (06/10/14) a Oi anunciou o tal do Oi Galera, um chip disponível no plano pré-pago, que atende os três padrões de SIM Cards do mercado, desde o clássico SIM normal, o menorzinho micro SIM e o mais miúdo nano SIM, característica que alguns chamaram de "tri-formato" ou "triplo corte".


A operadora detalhou que o chip de três camadas chegou para atender o público jovem, pois esse pessoal está sempre trocando de aparelho e considerando as necessidades de cada modelo, será possível destacar os contornos para deixar o chip menor e agregar os mesmos para deixar ele maior, descartando a necessidade de ficar recortando ou usar algum outro tipo de adaptador.

Inicialmente o Oi Galera vai estar disponível nas lojas da operadora apenas nas capitais São Paulo e Rio de Janeiro, mas é possível solicitar o chip e receber gratuitamente em casa em qualquer lugar do pais. Claro que antes de tudo é importante ler o regulamento e estar ciente sobre tudo o que o plano agrega.

domingo, 5 de outubro de 2014

Memória não pode ser "read"

"A instrução no 0x28b79714 fez referência à memória no 0x00000000. A memória não pôde ser read."

Ah, Windows...

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Star Wars em ordem alfabética


Se você é um tremendo viciado em Star Wars daqueles que seria capaz de qualquer coisa pra defender a série, vai gostar desse vídeo, no qual, um cara possivelmente mais viciado que você e com muuuiiitooo tempo livre organizou todas as falas de todos os episódios em ordem alfabética. Sim, você vai assistir as cenas e ouvir as falas fora de sintonia, mas organizadas de A à Z:


Fonte: indicado pelo Jabel Fontoura

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Uma bateria externa para notebooks

Usar o notebook / netbook como um "deskbook" ou "desknote" é um saco. É preciso ficar sempre cuidando pra não capar a fonte de alimentação acidentalmente da tomada antes de desligar o equipamento, se não, você corre o risco de perder todo o seu trabalho não salvo, já que a bateria não segura mais nem um segundo longe da carga. 

Já fazem quase 4 anos que comprei meu netbook e ainda não tenho intenção de aposentar ele. Em novembro do ano passado a bateria começou a engasgar, não segurando mais nada de carga. O peso dela também diminuiu drasticamente, possivelmente causado por uma reação interna das células que desistiram de aceitar carga.

Meu vizinho tinha um netbook do mesmo modelo, e eu sabia que estava subutilizado, então, ofereci alguns trocados pra ficar com o bicho inteiro, pois além de aproveitar a bateira, eu poderia aproveitar a fonte também, considerando o fato que meses antes eu já havia perdido a minha fonte.

Netbooks HP Mini 3115

Algumas semanas atrás a bateria do meu vizinho (que não é mais do meu vizinho) começou a apresentar o mesmo sintoma que a minha e mais uma vez fiquei preso pela tomada, até o dia que pensei em comprar uma dessas baterias externas, pois não compensaria investir em uma bateria nova pra esse netbook, ao ponto que ele já está velho, e com uma externa bateria universal, poderia aproveitar em outros equipamentos também.

Pesquisei um pouco e encontrei um modelo da Multilaser, identificado como CB066. Esteticamente ela parece resistente e fácil de carregar na mochila, não ocupando muito espaço, envolto por um case de alumínio, nas dimensões 15,2 x 7,6 x 2,0 cm e pesando 357g. O case (se é que podemos chamar assim) possui uma entrada DC 12V / 1A para recebimento de carga, uma saída DC 12V - 16V - 19V / 3,5A para fornecimento de energia, podendo selecionar a tensão conforme a necessidade do notebook (a maioria dos equipamentos usa 19V, alguns menos, no caso, 18V, mas a tolerância está aí pra isso) e uma saída USB DC 5V / 2A para carregar celulares, tablets e demais dispositivos do gênero. A presença de um pequeno display com iluminação azul ajuda para controlar a quantidade de carga disponível, além da tensão fornecida na DC de saída, a qual pode ser selecionada por um botão do tipo push-button. Conforme o fabricante, a autonomia de alimentação fica entre 5 e 6 horas, mas nos testes, usando 19V para alimentar meu netbook, 3h e 30 min foram suficientes pra sugar toda a energia. Para carregar um tablet em uso constante, 2h e 30 min foram suficientes para o indicador de carga despencar de 80% para 20%.

 Bateria Externa Multilaser para Notebook

Display e saída USB

Entrada DC (para recarregar)

Saída DC (para carregar outros dispositivos)

Utilizando

O carregador universal acompanha um kit com 10 conectores para diferentes padrões de notebook, um cabo extensor com conector macho genérico nas duas pontas para interligar o carregador e o notebook e um adaptador / fonte de energia para recarregar o carregador externo. Os conectores que acompanham o kit não são lá grandes coisas, pois não prendem com precisão o conector do cabo extensor e o conector de alimentação do notebook, considerando que qualquer movimento é o suficiente pra cortar a energia. No meu caso, aproveitei um cabo que eu já havia feito quando perdi a fonte do netbook, no qual uma das pontas é um conector idêntico ao da fonte de alimentação do netbook e a outra é um conector fêmea desses genéricos, funcionando perfeitamente, não precisando assim usar os conectores fornecidos.

Kit completo

De modo geral o equipamento é bom e útil pra quem quer oferecer uma sobrevida no quesito mobilidade daquele notebook velho com a bateria viciada, e de quebra, poder recarregar seu smartphone.

domingo, 28 de setembro de 2014

Android x iOS x Windows Phone

Os números quanto ao uso de cada sistema móvel e seus aplicativos:


Fonte: Revista Info (agosto / 2014)

sábado, 27 de setembro de 2014

Google é o CTRL + F da Internet

"O Google é como o 'CTRL + F' de toda a internet."

Fonte: 8Crap via Instagram