terça-feira, 21 de julho de 2015

Pirâmide de Maslow na era digital

Quando o psicólogo americano, Abraham Maslow, desenhou o que ficou conhecida como a "Pirâmide de Maslow", construindo os pilares das necessidades básicas humanas, os tempos eram outros. Na época, Maslow definiu "Necessidades Fisiológicas" como a base da pirâmide, seguindo por "Segurança", "Necessidades Sociais", "Autoestima" e "Autorrealização" no topo, considerando que se cada pessoa alcançar esses estados, o ápice da satisfação humana é atingido. Mas o que Malow não pensou (e também não teria como pensar) é que com o passar do tempo algumas coisas mudam, e devido a evolução da tecnologia, a base da pirâmide não é mais a mesma:


Afinal, ninguém mais vive sem bateria e wi-fi.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Melhor que GTA


Fonte: Ah Negão

CÉU, CIO, CEO, SEO

Faz tempo que não falo sobre SEO (Search Engine Optimization), aquele mecanismo que faz os sites ficarem bem posicionados nas buscas do Google. Alguns anos atrás estive mais inteirado sobre o assunto, escrevendo aqui e no Zoom Digital (o outro blog, no qual, eu deveria estar escrevendo também, mas faz mais de um ano que não apareço por lá). Acabei tomando outros rumos e apesar de ouvir alguma coisa aqui e outra lá sobre o SEO, não demonstro mais tanto interesse quanto tinha na época que escutava o Guanacast, o podcast do amigo Gustavo Guanabara, por sinal, o primeiro lugar onde ouvi falar sobre métodos de otimização de busca, além de diversos outros temas relacionados a tecnologia, fazendo parte do início do Geek Fail e da minha carreira na área de TI.

Mas voltando ao SEO, sei que muita gente tem dificuldade pra pronunciar a sigla (em inglês), e lembro da dificuldade da minha amiga Jéssica Rosa pra conseguir retirar o certificado de participação dela no Tche SEO, também alguns anos atrás. A menina da secretaria de extensão não entendia o que ela queria, pois enquanto ela pronunciava "ÉSS-I-OU", a guria não assimilava que ela fazia referência ao evento sobre "CÉU" que havia ocorrido na universidade, sendo essa uma confusão bastante comum. 

E já que dizem que uma imagem vale por mil palavras (não sei se esse verbete pode ser aplicado aqui, mas...) lembrei de tudo isso quando vi alguém (não lembro quem) compartilhando a imagem abaixo no LinkedIn, sendo uma forma bem humorada pra aprender a pronúncia correta do termo:


E aí, já sabia qual era desse tal de SEO? Consegue falar certinho agora?

quarta-feira, 15 de julho de 2015

É muito tarde para (re)começar?

clique na imagem para ampliar

A vida ensina que nunca é tarde...

O cabo mais resistente que seu iPhone já viu

Cabos pra celular são objetos deprimentes. Quando não funcionam, quebram, arrebentam ou misteriosamente criam pernas e nunca mais voltam pra gaveta dos seus donos. Os cabos da Apple não são diferentes, por sinal, são piores, mais delicados e fáceis de quebrar.

Considerando tudo isso, a i10 Acessories lançou uma ideia interessante. A partir de uma campanha de crowdfunding (financiamento coletivo), a empresa está desenvolvendo o cabo que promete ser o mais resistente do mundo. Denominado i10 Power Series Lightning Cable, o modelo é produzido com um tipo de nylon trançado, envolto por uma capa de aço, além das suas extremidades, no caso, os conectores, estarem inseridos em peças de aço também. Os modelos serão maiores que os cabos tradicionais, possuindo entre 1,80 m e 2,00 m, o que minimiza os problemas com distância na hora de colocar o aparelho pra carregar.


Antes de chegar ao mercado, os cabos passarão por uma certificação da própria Apple, o que deve garantir a compatibilidade com os aparelhos, mesmo após as atualizações de hardware e sistema que a companhia possa lançar. A i10 Acessories confia tanto no seu produto, que vai oferecer garantia vitalicia pra todos os cabos vendidos.

O projeto foi lançado no Kickstarter e a meta inicial era arrecadar mais de US$ 10 mil, mas até o momento já foram arrecadados US$ 79,706 mil. Aos interessados em adquirir o produto já agora, basta contribuir com US$ 15 (mais US$ 5 de frete para o Brasil). As entregas deverão começar em setembro.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Tóquio celebrou o primeiro casamento entre robôs

A ciência é incrível. Enquanto uns pesquisam como criar um dinossauro a partir de uma galinha, outros celebram o casamento entre robôs. Esse último tem dedo asiático, portanto, dispensa explicações.

Convite de casamento - Frios & Roborin

E foi no dia 27/06/2015 que aconteceu o primeiro casamento entre robôs no mundo (ao menos que ficou conhecido publicamente), celebrado no restaurante CAY em Tóquio no Japão. O noivo foi Frois, um robô desenvolvido pela Maywa Denki, fabricado basicamente utilizando utensílios domésticos, como uma cabeça feita de balde, por exemplo. A noiva foi Roborin, desenvolvida pela Takayuri Todo, por sua vez, diferente do seu cônjuge, foi fabricada com a intenção de chegar o mais próximo possível da aparência humana. A cerimônia foi conduzida também por um robô, conhecido como Pepper, modelo famoso pela sua capacidade de analisar expressões, gestos e palavras, a partir disso, interagindo da maneira mais adequada, utilizando voz e tato.


O casório contou com cerca de 100 convidados, os quais precisaram desembolsar o equivalente a R$ 250 reais pelo convite, o que incluiu comida e bebida liberada, além da participação no evento.

Lulu está voltando ao Brasil

Ninguém sabia ao certo qual seria o futuro do Lulu quando o aplicativo saiu do ar, após uma curta passagem pelo Brasil, entre novembro/2013 e janeiro/2014, sendo abolido por uma ordem judicial. emitida contra a Luluvise Incorporation, detentora dos direitos da ferramenta. Se estou bem lembrado, o aplicativo foi motivo de muito bafafá entre as usuárias e principalmente os usuários involuntariamente usados pela aplicação.


Mas como diria o velho ditado, "quem é vivo sempre aparece", a Luluvise resolveu trazer o aplicativo de volta ao país, ajustado e precavido para que não seja alvo de novas discussões. Diferente da versão anterior, agora os rapazes poderão decidir fazer parte ou não da rede, dessa vez, utilizando como credencial o número do telefone celular, além de poder visualizar as avaliações registradas pelas moças no seu perfil e até interagir com elas, mediante um bate-papo que poderá ser iniciado apenas pela interessada.

As mulheres continuam podendo avaliar os homens a partir de um círculo compartilhado de amigos, interesses/afinidades ou apenas porque achou a foto de perfil bonitinha, sem contar que critérios de localização (buscar os rapazes mais próximos) também poderão ser considerados. Como o aplicativo ainda não está disponível pra download, a Luluvise disponibilizou uma página para que os interessados coloquem seus dados em uma "lista VIP", sendo os primeiros contemplados quando a bagaça voltar a funcionar, o que deve ocorrer ainda nesse mês. Se estiver pilhado, basta acessar vip.onlulu.com

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Sinônimo de Cyberbullying


Porque esses caras é que manjam do assunto...

Usando tecnologia, pacientes não precisam mais lembrar de tomar remédios

Não, ainda não inventaram a cura pra todas as doenças conhecidas pela humanidade. O que criaram dessa vez foi um chip capaz de medicar automaticamente os pacientes, na hora e na medida certa, tudo programado remotamente através de um computador, operado por um médico ou o próprio paciente, sendo assim uma alternativa inteligente para que ninguém esqueça de tomar seus medicamentos.

Desenvolvido pela Microchips Biotech, uma empresa criada a partir do MIT, o microchip tem o tamanho de uma unha, implantado na pele dos pacientes, o dispositivo utiliza pequenos reservatórios individuais cobertos com um membrana de metal. Cada um desses reservatórios contém uma dose da medicação necessária e a partir de um impulso elétrico, a membrana é removida e o medicamento é injetado no paciente. Os pesquisadores dizem que o chip tem durabilidade de até 16 anos.

Desenvolvido pela Microchips Biotech, chip aplica as doses do medicamento desejado nos pacientes, assumindo o mesmo efeito de uma injeção

Nos testes realizados, os médicos constataram que o efeito gerado no organismo, a partir da aplicação do medicamento, é semelhante a uma injeção. Pacientes com doenças crônicas, como osteoporose, diabetes e esclerose foram inicialmente submetidos aos testes e demonstraram bons resultados. A empresa acredita que o recurso também pode ser aplicado como medicamento anticoncepcional. O projeto recebeu um aporte de US$ 35 bilhões da Teva Pharm, uma das maiores multinacionais da indústria farmacêutica com sede em Israel, na intenção de fazer com que a tecnologia evolua ao ponto de atingir o patamar comercial. Mas de qualquer forma, o microchip ainda precisa ser aprovado pela entidade reguladora Food and Drug Administration (FDA) nos EUA, o equivalente a ANVISA no Brasil.

Vale lembrar que não é a primeira vez que a Microchips apresenta essa ideia, pois lá no inicio de 2012, uma iniciativa parecida surgiu. Apesar de repaginada, as características principais, assim como o propósito inicial, ainda são os mesmos.

Fonte: Exame e TechTudo

domingo, 5 de julho de 2015

Na Friendzone do WiFi

"Esse simbolo basicamente significa que você está na friendzone do WiFi. O objetivo está lá, mas ele não vai oferecer nada pra você."

Fonte: 9gag via Instagram

Aos 63 anos, morre Matti Makkonen, criador do SMS

Seria incerto afirmar que a comunicação móvel estaria estruturada da forma como conhecemos hoje, se em 1984, Matti Makkonen não estivesse trabalhando no desenvolvimento do SMS (Short Message System). Finlandês e engenheiro da Nokia, na época, Makkonen não imaginava a difusão que o sistema iria tomar no decorrer dos anos, tanto que o recurso chegou ao mercado apenas em 1994, com o lançamento do Nokia 2010, o primeiro celular que permitia enviar e receber mensagens. A partir disso, o serviço ficou cada vez mais popular, principalmente no início da década de 2000, com a popularização dos planos pré-pagos, o que compensava em termos de custos utilizar as mensagens como forma de comunicação.

Durante o desenvolvimento do seu trabalho, Makkonen não atentou diretamente ao fato de registrar a patente da sua invenção ou mesmo manter os documentos originais que evidenciavam todo o histórico do projeto, por isso, não foi por menos que em 1992, um engenheiro da Vodafone na Inglaterra, enviou o que ficou marcado como o primeiro SMS da história. Mas o reconhecimento aconteceu, tanto que em 2008, a revista The Economist concedeu a Makkonen o prêmio de inovação, fazendo menção a sua criação.

Matti Makkonen

Makkonen sempre foi humilde o suficiente pra acreditar que ele não foi o único responsável pelo desenvolvimento do sistema, mas sim, todos os engenheiros e demais envolvidos que compartilharam com ele o trabalho, principalmente a Nokia. Em uma entrevista à BBC News em 2012, Makkonen disse que acreditava que o texto é o meio de comunicação que estará entre nós para sempre, mencionando também que não gosta de abreviação de palavras quando envia um SMS, pois tem paixão pela língua finlandesa e utiliza os 160 caracteres das mensagens pra isso.

Matti Makkonen morreu na última terça-feira (30/06/15) com apenas 63 anos. As causas da sua morte não foram divulgadas.

Atualmente mais de 5,4 bilhões de pessoas ao redor do mundo utilizam o SMS diariamente para comunicação, número que corresponde a 75% de toda a população no mundo. Apenas nos EUA, o volume total de mensagens trafegadas excede a marca de 2 trilhões por ano.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Senha do Wi-Fi


Fonte: compartilhado pelo amigo Maicon Strey

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Fazendo um trabalho pra o servidor não cair


E aí, será que funciona???

Fonte: compartilhado pelo amigo Gabriel Trojack

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Magazine Luiza inova com vendedores engajados no mobile

Definida como a 1ª Virada Mobile, nos próximos dias, 236 vendedores distribuídos em 12 lojas localizadas na cidade de São Paulo, começarão a atender os clientes utilizando apenas um tablet ou smartphone. Os testes já estão em andamento desde o início de 2015 e a previsão para liberação dos "pilotos" foi definida para ocorrer até o início do segundo semestre.


A plataforma é baseda em um aplicativo móvel que foi desenvolvido exclusivamente para atender a Magazine Luiza, integrado com o sistema de gestão comercial da companhia, os vendedores não precisarão mais utilizar um computador para consultar preços, simular e efetivar as vendas, pois todo o atendimento será realizado a partir desse novo recurso. A estimativa é que o tempo médio de venda diminua de 40 para 15 minutos.

Segundo Frederico Trajano, diretor executivo de operações da varejista, a mudança faz parte de um ciclo de transformação digital da rede. "Hoje somos uma varejista tradicional, que possui forte área digital. Estamos focados na transformação em uma empresa digital com pontos físicos. Atualmente, nosso e-commerce representa 20% do faturamento da empresa e a estimativa com a mudança é que as vendas mobile representem mais de 40% em até cinco anos.”, afirma o executivo.

A previsão é que até o final de 2015, mais de 1900 vendedores já estejam utilizando o aplicativo, os quais estarão alocados em 110 lojas da rede.

terça-feira, 23 de junho de 2015

Um celular assim

"Todos temos um amigo que tem um celular assim"

Muito certo! E não é querer julgar ou criticar, mas já vi bem mais mulheres (diga-se meninas) usando aparelhos com tela quebrada do que homens.

Fonte: 9gag via Instagram