domingo, 30 de novembro de 2014

Tem coisa pior na era móvel digital?


Sinal de Wi-Fi baixo, aplicativo carregando uma eternidade pra abrir e bateria fraca. É pra morrer de tanta depressão.

Venda de alma na internet era fake

Semana passada nosso leitor Gustavo Silva entrou em contato conosco sinalizando o anúncio de um "cabeça" que resolveu vender a alma dele em um desses sites de classificados online. O cara descrevia a alma como "zero bala" e dizia que não encontrava utilidade pra ela, por isso, decidiu "passar nos trocos".

Enquanto o anúncio ainda estava vigente 

O anúncio ficou mofando por lá durante alguns dias, inclusive alguns blogs e canais na internet noticiaram o fato, atentando a curiosidade em torno do assunto. Mas o que ninguém esperava ou talvez no fundo todos achavam que era isso, é que a venda não passava de uma ação publicitária conjunta entre o site de classificados, Classificadolandia, e o um canal de TV, Space, incitando pela audiência da nova série de TV, Constantine, estrelada pelo tal do John Constantine ou Hellblazer (desbravador do inferno).

O próprio site de classificamos admitiu a "brincadeira" com caráter publicitário

Valeu pela dica de pauta, Gustavo!

A arte nanométrica

Artistas são pessoas que pensam "fora da caixa". Talvez seja muito clichê falar isso, mas eles são tão birutas ao ponto de esculpir uma peça que que só pode ser deslumbrada usando um microscópio de tunelamento, daqueles utilizados na ciência para estudar os átomos e consequentemente a única maneira de analisar sua matéria.

Nas últimas semanas, o artista plástico londrino, Jonty Hurwitz, trabalhou em conjunto com os cientistas do Instituto de Tecnologia de Karlsruhe e do Instituto Weitzmann de Ciências e criou o que ficou conhecida, até então, como a menor escultura da história, em escala nanométrica, medindo 80x100x20 microns (lembrando que cada micron ou micrômetro é um milionésimo de metro; basicamente cada centímetro tem dez mil microns). A peça foi desenvolvida a partir de uma tecnologia definida como multiphoton litografia, utilizando impressão 3D e outros apetrechos, pois Jonty retratou uma modelo real com o trabalho.

A modelo humana foi capturada em diversas posições por um arsenal de câmeras, transcrevendo as impressões ao software que retrataria a micro impressão em 3D

O resultado final foi comparado a um fio de cabelo

E depois, colocado no buraco da ponta de uma agulha de costura

Em resumo, pequeno "bacarai".

Fonte: Projeto Artefato e Jornal NH (edição de 28/11/14)

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Hello IT


Desculpa aí, mas essa dispensa qualquer comentário ou tradução. E só pra completar, assiste aqui.

Já usou o Anatel Serviço Móvel?

Lançado no mês passado (outubro / 2014) pela Anatel, o aplicativo Anatel Serviço Móvel tem a função de informar os usuários sobre a disponibilidade do sinal de dados ou voz atrelado a cada operadora em determinada região do país, segmentada por estado e cidade ou através da localização por GPS.

Anatel Serviço Móvel

Disponível para Android e iOS, o aplicativo categoriza as consultas por operadoras, avaliando critérios como a quantidade de ERBs (estações radio base, o que basicamente são as antenas), ranking de dados e ranking de voz em cada localidade avaliada, contando também com recursos em mapa, o que facilita a visualização e consequentemente a localização das ERBs em cada região. Também é possível filtrar os resultados entre as tecnologias 2G, 3G e 4G, considerando que essa disponibilidade deve variar conforme a tecnologia empregada nas antenas.


Quantidade de ERBs

Localização das ERBs no mapa

O recurso é uma boa opção pra galera que fica sempre correndo pra lá e pra cá e nunca sabe a qualidade do sinal que vai encontrar. Outra utilidade é avaliar a qualidade do serviço prestado pela sua operadora, facilitando também a avaliação dos recursos oferecidos pela concorrência antes de pensar em mudar.

Fonte: Sexta Móvel Podcast

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Tecnologia em sociedade


Fonte: History In Pictures via Twitter

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Recebi meu Oi Galera

Antes de qualquer coisa, eu queria deixar claro que não estou puxando o saco da Oi, muito menos babando os ovos deles e menos ainda recebendo qualquer tipo capital, propina ou patrocínio por fazer mais uma postagem falando dessa bagaça do Oi Galera.


A questão é que semanas atrás quando fiquei sabendo da promoção e divulguei aqui no blog, fiz um pedido do tal chip pra ver qual eras. Claro que ele não chegou só agora, por sinal, foi bem rápido, pois lembro de ter feito o pedido no domingo e na quarta ele já havia chegado.


Conforme sustenta a promoção, realmente não precisei pagar nada pelo kit, o que é um ponto positivo, considerando que muitas vezes a gente precisa desembolsar R$ 15 ou 20 pilas pra comprar um chip em qualquer quitanda por aí. O que não foi bem como eu esperava são os padrões de SIM oferecidos, pois entendi que era possível adquirir um kit "tripo corte", porém, no momento da escolha, antes de confirmar os dados para envio, precisei escolher apenas entre SIM normal + micro SIM ou apenas nano SIM. 


Um ponto que eu achei interessante e que realmente eu não sabia como funcionaria, ficou a critério da escolha do número, pois o chip vem "em branco", necessitando de poucos comandos após incluir ele no aparelho pra receber algumas opções e confirmar com a escolhida.

domingo, 16 de novembro de 2014

Holanda e suas ciclovias "movidas" a energia solar

A Holanda possui um total de 32 mil quilômetros de ciclovias ao longo do país. Dizem que cada habitante possui no mínimo uma bicicleta, o que garante uma frota de mais ou menos 16.5 milhões de bicicletas, considerando o número de habitantes do país.

Na última quarta-feira (12/11/14), a cidade de Krommenie (cerca de 25 quilômetros da capital Amsterdam) inaugurou a primeira ciclovia do mundo formada por placas de painéis solares, os quais tem a função de coletar a luz emitida pelo sol e converter em energia elétrica, além de servir como pista, é claro. O trajeto composto vai ao longo de 100 metros de comprimento e ainda está em fase de testes, mas já é capaz de abastecer três casas com a energia coletada.


O projeto denominado SolaRoad é uma parceria entre o governo e empresas locais, partindo de um investimento de € 3 milhões de euros (o equivalente a quase R$ 10 milhões de reais). A ciclovia é construída por barras de concreto, cada uma medindo 2,5 m x 3,5 m, cobertas por uma camada de vidro temperado  com aproximadamente 1 centímetro de espessura, além de células fotovoltaicas, responsáveis por captar a luz emitida pelo sol e converter em eletricidade. Os responsáveis pelo SolaRoad afirmam que a cada metro quadrado é possível produzir 50 quilowatts / hora.

A intenção é que no futuro toda a energia coletada seja convertida para fins como iluminação pública, sinalização, carros elétricos e residências. A previsão é estender o percurso em 300 metros até 2016. De qualquer forma, a viabilidade econômica ainda é uma incógnita, considerando o alto valor do investimento, ficando a critério de compensação com a energia gerada ao longo do tempo.

Inspirada em Van Gogh

Quase junto com a inauguração da ciclovia sustentável, a cidade de Nuenem também anunciou a reformulação da sua ciclovia na mesma linha. Inspirada na obra Noite Estrelada do pintor holandês Vicent Van Gogh, a pista utiliza um conceito parecido da SolaRoad, mas em menor escala, captando energia solar para alimentar apenas sua iluminação própria durante a noite. São mais de 50 mil pontos luminosos ao longo do trajeto, idealizado pelo designer Daan Roosegaarde e produzido pela empresa Heijmans.


Daan é conhecido por trabalhos que brilham no escuro e diz ter buscado sua inspiração nas estrelas de plástico fosforescentes usadas para decorar quartos de crianças. A pista foi revestida por uma pintura eletrônica com uma intensidade de brilho bastante forte e caso chova por muito tempo ou não faça sol é possível recarregar esse material com eletricidade.

Fonte: BBC, Exame, Mercado Ético e O Globo

sábado, 15 de novembro de 2014

Impressora precisa de atenção


Sim, ela só está sem papel...

Esboçando a Cloud Computing

Algumas semanas atrás, junto com os colegas Giovani Pozzo e William Warken, apresentamos um trabalho sobre Cloud Computing para a disciplina de Sistemas de Informação na faculdade. Durante a preparação para o trabalho, discutindo a organização dos temas e afins, fiz um esboço bastante simples sobre o conceito:

clique na imagem para ampliar

Achei interessante compartilhar, até pela minha insistência em utilizar o desenho em escala maior durante a apresentação, facilitando as explicações.

domingo, 2 de novembro de 2014

Designer cria prótese do Homem de Ferro para crianças

Precisar de uma prótese pra substituir uma mão não é nada agradável, principalmente quando a necessidade parte de uma criança.

O designer mecânico Pat Starace resolveu inovar e criou uma prótese infantil baseada na mão biônica do poderoso Homem de Ferro. A estrutura foi toda gerada por uma impressora 3D e os recursos tecnológicos como sensores de movimento, acelerômetros, compatibilidade com outros dispositivos wireless (utilizando NFC e RFID) e controle por voz são gerenciados por uma placa de Arduino acoplada na estrutura.


Não ficou confirmado se Pat pretende produzir sua criação em massa, mas os arquivos para impressão e demais documentações envolvendo o projeto serão disponibilizadas pelo designer (possivelmente através do site dele). Quanto ao modelo em questão, Pat está doando o mesmo para crianças que realmente precisam do recurso, transformando uma triste necessidade em um duplo motivo de alegria, afinal, além de ganhar uma prótese, a criança que receber terá "poderes de super-herói" também.


Iniciativas como essa já foram desenvolvidas por Aarton Brown, membro da E-Nabling The Future, uma organização fundada por entusiastas da impressão 3D, engenheiros, fisioterapeutas e designers. A ideia de Brown também foi parecida, desenvolvendo próteses para crianças usando a temática de super-heróis, como Batman, Capitão América e o próprio Homem de Ferro.

Fonte: Asdef e Infosfera